quarta-feira, 27 de maio de 2009

Como acertar no presente do dia dos namorados


Dia desses numa conversa de meninas, escutei a historia de uma delas que falava da estratégia que usava com o ex, com quem namorou por vários anos, para ele acertar nos presentes: "Ai, eu falava pra ele ir lá na loja que eu gosto falar com a vendedora que já conhecia o meu gosto. Na verdade, eu já deixava a vendedora avisada, dava várias opções de vários preços pra ela indicar pra ele, tudo muito sem querer, claro. Coincidentemente ele sempre comprava as coisas mais baratas, né!".

Tô começando a achar que as pessoas estão sofrendo mutações estranhas nesse planeta. Sou só eu ou alguém mais acha que não faz sentido induzir alguém a te dar um presente que você mesmo poderia ir lá comprar? Aliás, a graça do presente é justamente a surpresa, não? A graça é perceber que o outro conhece seus gostos. Tem presente melhor que descobrir que, no início da relação, quando vocês ainda estão se conhecendo, ele tem a fofura de ligar pra sua mãe ou melhor amiga pra pedir umas dicas? Tem presente melhor do que você não dizer palavra e ele perceber que seu perfume predileto está acabando e te comprar um novo naquele mês que você tá apertada de grana?

Pode ser uma visão romântica demais da minha parte, mas pra mim 90% do presente nunca é o presente em si, mas toda a mensagem por trás dele. E o presente pode ser só uma cartinha e ser o melhor presente do mundo quando você percebe que o envelope está sem o carimbo do correio e descobre que a pessoa atravessou a cidade só pra colocar na sua caixa de correio com medo de não chegar no dia certo.

A receita pra acertar no presente é simples: gostar da pessoa versus conhecer a pessoa. SIM, para acertar no presente é preciso, antes de mais nada, conhecer o outro. E, sinceramente, se uma vendedora de loja sabe mais de você do que seu namorado de anos, alguma coisa está errada: ou com você ou com ele - ou mais provavelmente com os dois. Porque ou você é incrivelmente carente a ponto de acreditar que a vendedora de loja é realmente sua melhor amiga (a menos que antes de ser vendedora a criatura já fosse de fato amiga de infância) ou seu namorado não está nem aí pra você e não quer nem se dar o trabalho de pensar no que você gostaria de ganhar. Seja como for, é hora de rever seus conceitos, baby, porque se foi ou não a peça mais barata, isso é o que menos importa na maioria das vezes.

Um comentário:

  1. Você não é a única. Concordo que não faz sentido você ter que encomendar seu presente, ainda mais de dias dos namorados. Também sou adepta de que os presentes devem transmitir mais mensagens do que valores materiais.

    ResponderExcluir