quinta-feira, 9 de julho de 2009

Não somos a exceção, somos a regra!!!!!!!!!

Ok, o filme é "mulherzinha" e tudo mais que os cinéfilos de plantão quiserem dizer. Masssss, para além de todo o óbvio, todas as questões tratadas em Ele NÃO está tão afim de você (do original: He is not just that into you) continuam tão atuais que a pergunta fica no ar quando vem os créditos: como diabos a maioria das pessoas ainda não aprendeu a lição?!

Se fosse possível resumir o filme em uma frase, acho que seria: nós não somos a execeção, SOMOS A REGRA. Crescemos esperando um príncipe no cavalo branco, um homem que nos acordará do coma tal e qual A Branca de Neve, ou que percorrerá todas as ruas da cidade com nosso sapatinho de cinderela nas mãos, ou passará cinquenta e um anos, nove meses e quatro dias esperando por nós como em O amor nos tempos do cólera.

Amores de Gabriel García Márquez podem até existir mas, pelo menos no mundo em que EU vivo, são raríssimos a ponto de muitos nunca terem nem ouvido falar. Não é o fim do mundo, desde que possamos entender a diferença entre Hollywood e a vida real:

  • Na ficção, o mocinho não aparece no encontro romântico em que vocês fugiriam juntos porque a bruxa o prende no calabouço do castelo. Na vida real, ele SIMPLESMENTE não está a fim de você.
  • Na ficção, o cara não liga no dia seguinte porque é atropelado e perde a memória. Na vida real, ele não liga no dia seguinte porque não está afim de ligar! Ou seja: NÃO está a fim de você.
  • Na ficção, o cara enrola pra casar porque ele é um agente secreto e tem medo de colocar sua vida em risco. Na vida real, o cara enrola pra casar e dá desculpas como "eu não mereço você", ou pior ainda "eu vou ter tanto ciúme do cara que casar com você" porque ele não quer casar com você, e ponto final.
É simples assim: se um cara não te liga no dia seguinte, é porque ele não quer te ligar. Ou seja: se um cara está te tratando como se não desse a mínima pra você é porque ele REALMENTE não dá a mínima pra você. SEM EXCEÇÕES!

Abandone de uma vez essa crença estúpida e eterna de que a qualquer momento você pode ser a exceção. Pare de se apaixonar perdidamente por cada cara que você conhece, isso assusta! Então, please, não saia por aí dando uma de psicopata perseguindo desconhecidos e implorando por amor. Não perca tempo com quem não está a fim de você.

Se um cara pega seu telefone e não liga no dia seguinte, não fique obcecada com isso. Às vezes você nem sequer curtiu tanto ficar com ele, mas só porque o bendito não liga você começa a fazer milhões de suposições bizarras e surreais do porquê ele não ligou, quando a resposta é óbvia: ele só não está interessado. Quando alguém estiver realmente interessado, vai ligar, vai dar qualquer desculpa e vai encontrar um jeito de te encontrar. Quanto ao que não ligou, vire a página e seja feliz.

5 comentários:

  1. O seu post tá muito parecido com o texto do livro. O problema é que, às vezes, demora muito para aparecer o que simplesmente está a fim de você.

    ResponderExcluir
  2. Demora muito a aparecer quem está a fim de você e vice-versa? Estranho seria se todo cara que a gente fica a fim estivesse a fim da gente. Vai ver que isso que alguns ouvem sininhos quando finalmente encontram a reciproidadeo, tipo "eu gosto dele e ele gosta de mim".

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que se apaixonar por alguémq ue também se apaixone por você é um fato mais raro e improvável, relacionado a uma série de fatores interdependentes, coisa mais difícil que encontrar petróleo. Mas de vez em quando tem uma nova descoberta de petróleo, nunca vamos perder as esperanças.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, o amor é uma falácia, baby. Melhor: apaixonar-se é um método cruel de tentativa e erro. Funciona assim: o roteirista de nossas vidas(ele, seja lá quem for) não gosta de nada fácil. Por isso, primeiro ele te sacaneia até você perceber que você é só mais uma entre os milhares - VOCÊ É A REGRA. Depois que você aprende isso, aí você descobre que tem que encontrar a inalcançável EXCEÇÃO... que é mais difícil que encontrar petróleo: encontrar a tal "cara-metade"...

    ResponderExcluir
  5. vou te contar...filme de mulherzinha mas bem realístico, ao assistir me deu vontade de ligar para várias, senão todas as minhas amigas...hehehe, e isso sem lembrar nas "cabeçadas" que já dei por aí. Se estivesse solteira no dia que assisti ia ter que assistir A Lot Like Love e ficar fantasiando o dia em que eu topasse com um "ashton kutcher".
    ps: PaH...a Paola me passou seu blog...adorei

    ResponderExcluir