segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O super sincero

Ela: Ai amor, tô me sentindo tão gordinha
Ele [distraida e inadvertidamente]: Emagrece então.

Cara, eu não sei porque os homens não aprendem que, HAJA O QUE HOUVER, eles jamais, em hipótese alguma, devem vacilar quando forem perguntados "você acha que eu tô gorda?".

Porque só existem duas respostas possíveis pra essa pergunta:

1. Claro que não!
2. Claro que não, você está gos-to-sa!

domingo, 29 de novembro de 2009

Síndrome do dedo podre


Há um problema recorrente entre meninas que desejam encontrar seu par: a síndrome do dedo podre. O diagnóstico: você, em termos de homens, só atrai psicóticos: ou são gays, casados, safados, cretinos, cafagestes, indisponíveis ou totalmente malucos!

Perguntei a uma amiga se existiria solução pro "azar" dessas pobres criaturas com superpoderes magnéticos para atrair problemas em vez de um bom "par". Mais uma pérola das amigas:

"Se mais de 90% das mulheres tem o dedo podre, significa que mais de 90% dos homens são 'podres'". Ou seja:n ão é muito difícil ter o dedo podre quando a probabilidade é de que a cada dez caras apenas um seja legal. Se essa premissa for verdadeira, o amor é praticamente uma loteria. Será?!

E se o problema não se resumir a dificuldade de encontrar um cara legal? Sei lá... ando desconfiada de que muito embora seja difícil topar na rua com um desses que fazem parte dos 10% legais, toda vez que uma amiga minha dá essa sorte, alguma atração muito mais irresistível pelo cara errado coloca tudo a perder.

É por essas e outras que dizem por aí que O AMOR É UMA FALÁCIA...

sábado, 28 de novembro de 2009

Sabedoria das amigas III

Sua amiga - que já saiu da faculdade - está te contando que começou a namorar um menino de 18 anos que ainda está no colégio(sic). Você faz cara de horrorizada, pergunta se o menino que tem que pedir pra mãe pra sair não seria muito imaturo pra um relacionamento.

É aí que uma terceira amiga encerra a conversa: "que nada... pra que se preocupar se o cara tem 15 ou 50... isso não faz a menor diferença, porque os homens nunca amadurecem anyway".

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Sabedoria das amigas II

A gente passa a adolescência inteira sofrendo porque se acha feia para crescer e decobrir que homem pega qualquer bagulho.

Sabedoria das amigas I

Se sexo é vida, eu estou em coma.

Seus problemas acabaram!

De vez em quando eu brinco que qualquer dia desses serei presa por exercício ilegal da profissão de psicóloga, porque sempre tem um amigo(a) em alguma situação ruim que me pede conselho. E eu sempre tento ajudar, mas nunca sei se ajudo ou atrapalho ainda mais.

Os problemas são vários: a amiga que casou e se arrependeu, mas não consegue separar; a amiga que terminou o namoro mas não conseguia se desvincular do ex, mesmo não gostando mais dele; aquele que quer trair a namorada mas não sabe se quer terminar o namoro; alguém que precisa escolher entre aceitar o emprego dos sonhos ou rejeitá-lo pra ficar com o grande amor; o cara que é loucamente apaixonado pela namorada mas está sufocado pelo ciúme e fica naquele termina-volta.

Pessoas podem ter um milhão de problemas amorosos diferentes: ciúme, traição, solidão (inclusive a dois). No final das contas, tudo o que queremos é "consertar" as coisas, parar de sentir dor, saudade, carência, solidão, incerteza. Mas não sabemos como. Eu dificilmente tenho a resposta que as pessoas esperam ouvir. Primeiro porque eu não tenho a solução tipo comida congelada, que é só esquentar e tá pronta pra servir. Segundo que, ainda que eu tivesse, acredito que mesmo que todos os conselhos que eu sou capaz de dar sejam sensatos (nem é exatamente o caso), eu não posso assegurar que seguir um conselho sensato é garantia de felicidade e problemas resolvidos. Mais do que isso: quem garante que existe "o" caminho certo?

Se eu pudesse dar apenas um diagnóstico sobre um relacionamento problemático, independente do drama em questão, acho que seria "o problema é você e não o outro". A culpa de nos sentirmos tristes não é do ex que não nos quer mais, não é de quem nos traiu e por quem seguimos apaixonados. Essa culpa não é do casamento que insistimos em manter sem amor, nos sentindo culpados por desejar outras pessoas. A culpa não é do cara que não faz as escolhas que você gostaria, nem da mulher que não controla o próprio ciúme. A culpa não é da indecisão do homem que enrola pra namorar, casar ou ter filhos.

Todos os dias nos é dada a opção de refazer nossas escolhas. Precisamos entender que, de fato, NÃO SE PODE TER TUDO, na grande maioria das vezes. Existe um mundo de possibilidades, mas temos medo de abrir a porta que nos leva até ele. Dizemos aos quatro ventos que queremos a tal liberdade quando, na verdade, já somos livres o tempo todo- pra recomeçar, pra dar um basta, pra dizer não, pra experimentar, pra virar a mesa, pra se permitir mais, pra dizer pro outro o que queremos, pra dizer não. E, livres, ficamos apavorados diante da idéia de que somos também responsáveis por nossas escolhas. O medo paralisa, acomoda ao ponto em que não coseguimos deixar "tudo" pra trás, mesmo quando tudo o que temos não significa absolutamente nada do que queremos ter.

Pode ser que, nesse momento, você esteja pensando "muito lindo mas...como é que a gente escolhe de verdade? Aliás, como saber se escolhemos de verdade? ?"

Quem escolhe o caminho A e se dá mal sempre fica achando que o caminho B seria melhor. Quem escolhe C e acha que foi o caminho certo nunca vai saber se o D não seria ainda melhor. E esse é o "problema" da vida. Não existe garantia.

Se você está solteira e "escolheu" dizer SIM não vai ficar pensando coisas como "eu devia ter esperado passar o carnaval". Você não vai, na primeira briga, pensar que devia ter namorado o Zezinho e não o Luizinho. Nem vai fazer comparações de como teria sido o caminho que você não tomou.

Enfim: Quando você escolhe DE VERDADE o resto fica pra trás. Você encara a sua opção sem desculpas e tenta dar o máximo de si naquilo que se propôs a fazer. Não importa se a escolha em questão é se separar, dizer SIM, dar um basta em um namoro cômodo ou simplesmente assumir uma solteirice e se dar um tempo sem se preocupar com o que os outros vão pensar.

Que fique claro que se decidir entre comer uma maçã e uma laranja depois do almoço não é fazer uma escolha. Se te perguntam se você quer trocar 1 milhão de dólares por um tomate podre, isso também não é escolha. No final das contas importa mesmo é escolher. E escolher de verdade é difícil, porque pressupõe assumir os riscos e, principalmente, significa deixar alguma coisa sabendo que não será possível voltar. Mais ainda: escolher é abandonar tudo aquilo que não foi escolhido, sem olhar pra trás.

Pra simplificar a vida, no final das contas, temos só duas opções: deixar a vida "escolher" por nós ou assumir o controle e fazermos nossas próprias escolhas.

Por isso, a solução tabajara para todos os seus problemas é: ESCOLHA!

And whatever you wanna do... just do it!

domingo, 22 de novembro de 2009

Cenas de um reencontro com o ex

É sexta-feira, você está alegre e distraída quando, de repente, encontra o seu ex:


As pernas tremem quando você o vê. É assustador descobrir que mesmo depois de tanto tempo sem contato você não consegue controlar isso e, pior, você não fazia a menor idéia de que seria assim um reencontro que não durou mais do que segundos num contrafluxo de uma escada rolante.

Você, sozinha. Ele de mãos dadas com uma menina que você não conhece. Sua amiga te consola dizendo que você é mais bonita, que você tem mais estilo e se veste melhor. Mas nada disso importa, porque o que te faz sentir de um jeito que você não sabe explicar (se triste, com ciúme, com inveja ou simplesmente "estranha") é o fato de que ELA está ali de mãos dadas com ele e não você.


Você desistiu de tentar brincar de ser feliz.


Muitos sentimentos confusos vêm à tona. Você queria poder dizer que ele está enganado por pensar que você mudou tanto quanto ele imagina, porque o que os outros vêem agora é só uma couraça construída pelo orgulho, isso é tudo o que ele poderia enxergar de longe. Por trás disso, você está lá inteira e a mesma.


Enquanto suas pernas tremem você não consegue pensar. E de repente você se vê paralisada por um único pensamento no meio desse turbilhão: as coisas jamais serão iguais. Você já sabia disso?


Ressuscitar velhos fantasmas nunca é bom, a menos que o objetivo seja liquidar questões mal resolvidas. Qualquer que seja o sentimento - ódio, rancor, orgulho, um amor que persiste, saudade, carência - lembre-se sempre: ex por definição é algo que já foi... é aquilo que NÃO é mais. Se fosse pra ser, não seria ex... e se é ex é porque por algum motivo o relacionamento se mostrou inviável.

Haja o que houver, respire fundo, levante a cabeça e jamais pense em andar pra trás... siga em frente. Lembre-se da filosofia de bar da minha amiga recém separada:

"Eu tinha medo de me separar do meu marido "bonzinho" porque minha mãe martelava sem parar que 'a gente nunca sabe o que tem a
té perder'. Quando eu finalmente tomei coragem e separei, conheci um cara absolutamente incrível e surpreendente e descobri o outro lado dessa moeda: a gente também nunca sabe o que está perdendo até encontrar". PS.: Antes que alguém ache que virei viúva negra: ex bom é ex morto no sentido de "virar passado", ok?


sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Escrevendo certo por linhas tortas

Por incrível que pareça, assim como o melhor forma de encontrar algo que você perdeu é procurar outra coisa (e funciona!), nos relacionamentos a menor distância entre dois pontos (ela com roupa e ela sem roupa) nem sempre é uma reta.

Como assim Bial?!

É fato que os homens pensam e querem sexo numa proporção consideravelmente maior que a média das mulheres. E sabemos que muitos reclamam que não damos conta. E, em vez de reclamar, se vocês meninos passarem a olhar por uma nova ótica, vão perceber que a melhor maneira de pedir "sexo" é oferecer qualquer coisa que não seja sexo!

Como?!

Mulheres são seres geralmente carentes: de elogio, de carinho, de romance. E tem dia que a única coisa que queremos é atenção, colo e cafuné ou ajuda pra lavar a louça da pia. Vocês não imaginam, aliás, como ver você lavando a louça num dia em que estamos exaustas pode espantar a "dor de cabeça". Se você, em vez de chegar e nos jogar na cama ou pior, assitir jornal e futebol nos ignorando solenemente pra logo depois querer sexo, fizer algo simples como chegar perto só pra conversar, fazer uma massagem e dar carinho, nada impede (e essa é a tendência...) que no momento seguinte a gente queira sexo!

Tá na dúvida? Experimente os dois caminhos e depois verifique estatisticamente qual deles te levou a Roma.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Em busca da Terra do Nunca

Possivelmente você já ouviu por aí o mantra "homens nunca crescem". Yes, mulheres procuram homens maduros! O que é, afinal, um homem maduro? Você diria que é um cara responsável, que não faz coisas "infantis"? Ou ainda um cara que saiba o que quer da vida, ou que não tenha medo de compromisso, que seja prudente, seguro, com emprego estável?

Você está procurando um homem com o perfil acima? Você acha que coisas como casar, completar a educação, ter um filho ou sair de casa são sinal da "maturidade"?. Pois eu disconcordo!

Homem sério e seguro? Prefiro um homem menino, que não seja sério o tempo todo, que se permita errar, que admita que sente medo (de casar, de ter filhos, de perder o emprego...) porque sabe que a realidade não é estanque, que a vida é incerta e que segurança é uma ilusão, porque isso sinaliza que ele tem medo, na verdade, de se acomodar, porque quer ter coragem de mudar quando estiver infeliz, porque quer ter a opção de não abandonar o videogame ou qualquer outra coisa "infantil" que o faça feliz só pra se adequar a imagem de "adulto" que mantém as aparências.

Mulheres também tem medo de casamento (não pensem que não!). E vai ver, é justamente por isso que queremos que os homens se mostrem seguros de sua decisão (por eles e por nós mesmas). Temos medo porque, no fundo, ninguém sabe o que vai querer ser pelos próximos 20 anos, e quando somos forçados a comprometer um futuro afetivo ou profissional por um prazo tão longo, sempre nos perguntamos se vai dar certo, como saberemos hoje o que vamos querer pro resto da vida, e isso assusta mesmo. O medo não precisa fazer ninguém desistir de casar, mas, não seria melhor aceitarmos que esse medo é, na verdade, um convite a cobrarmos menos um do outro, vivendo cada dia de uma vez, sem exigir essa segurança inabalável como se insegurança fosse sinal de falta de amor?

Mulheres tem essa mania de querer um homem que preencha todos os requisitos, que lhe dê segurança, que preencha sua própria existência, como se alguém fosse capaz de fazer isso por nós. E adivinha só: não é! Aliás, o que sobra de um homem que, pra lhe dar tudo o que você exige, tem que trabalhar dobrado, estar sempre a postos, assumir todas as responsabilidades e, enfim, viver pra preencher sua vida? Acho que não sobra muito...

Prefiro homens que podem não saber o que querem ser aos 20, aos 30 anos, porque talvez não consigam se encaixar no padrão social vigente, mas que sabem ser eles mesmos e sabem que tudo o que importa e a maior responsabilidade que temos é ser felizes e fazer felizes as pessoas que amamos.

Prefiro homens que sejam capazes de rir de si mesmos, que não sejam tão prudentes a ponto de se tornem incapazes de fazer coisas não planejadas, de serem espontâneos, de realizar um sonho, de mudar de vida, de viver uma aventura, de se arriscarem a viver a própria vida, de mudar de país, de emprego - tudo isso pra seguir o coração (de menino), mesmo quando aos olhos alheios não pareça a coisa mais prudente a se fazer.

Prefiro um homem que pode até não ter um emprego estável, mas ama aquilo que faz e se sente feliz e realizado quando chega do trabalho, porque isso é muito melhor do que ter ao lado alguém que odeia seu emprego "estável", se estressa e reclama o tempo todo, mas é incapaz de sair da posição de conforto e se torna um adulto medíocre.

Existem vários tipos de maturidade. E o homem maduro que eu gostaria de encontrar é, na verdade, aquele que entendeu que envelhecer e conservar o coração de menino não é se recusar a crescer ou amadurecer. Pode parecer meio contraditório - e é mesmo - mas, pra mim, quanto mais menino um homem for, mais maduro ele será.

Homens incapazes de alimentar sua criança interior se tornam adultos modificados pelo entorno, que tem medo de brincar e agir como criança, medo do que os outros vão pensar. Do lado de fora podem parecer sérios, seguros, maduros. Mas, na essência, não são nada além de homens que só cresceram em tamanho e em quem meninos de cinco aninhos são capazes de dar um banho.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Namorar é...

Sempre fui uma menina de namorar. E desde que tive o primeiro namorado, aos 18 anos, é a primeira vez em muito tempo que fico sozinha por uma longa temporada. Os últimos 11 meses de solteirice foram um período incrível de auto-conhecimento, de curtir a família, os amigos e a mim mesma. Fiz sozinha um monte de coisas que muita gente só aproveita quando tem companhia: viagem de mochilão, cinema, restaurante, corrida, teatro, dança...

Durante muito tempo eu não conseguia me ver "apaixonada" novamente, uma sensação rara pra alguém que sempre esteve apaixonada desde os 18. E, dia desses, lia um blog na internet em que o autor fazia uma brincadeira com a antiga série "amar é...", traduzindo para o hoje em "namorar é...".

Lendo "namorar é..." pela primeira vez em muito tempo acordei desse longo inverno e voltei a sentir saudade de fazer preguiça a dois, ver filme e comer chocolate em domingo de chuva, planejar viagens, surpresas, jantares românticos e coisas simples que feitas ao lado "dele" fazem toda diferença .

Aliás, só um coração de pedra não teria vontade nenhuma de se apaixonar depois de ler "namorar é...":

Namorar é… sorrir enquanto ela decide com qual roupa vai sair, pois você sabe que ela fica mesmo linda quando se veste com seu lençol.

Namorar é… ter pra quem entregar aquele presente simples que você sabe que faria qualquer mulher feliz, mas que não queria dar pra uma amiga.

Namorar é… consultar a agenda de dança porque música, teatro, cinema, exposição e restaurantes já foram usados como desculpa para vê-la.

Namorar é… aprender a arte de chegar atrasado e até não ir em peças, shows e festas, deixando morrer com gosto o ingresso na carteira.

Namorar é… amar silenciosamente no escuro, sem nenhuma garantia de que o outro realmente está perto de você.

Namorar é… fazer uma compra adicional toda semana, levando só damascos, castanhas, queijos, chocolates e vinho (ok, água sanitária também).

Namorar é… se perder em palavras, jogos de linguagem, metáforas, gestos, imagens, cenas. Confundir arte e vida, ator e personagem.

Namorar é… ignorar o elevador e subir 6 andares de escada só porque demora mais, não tem câmera e é mais “divertido”.

Namorar é… ter um motivo para ir ao show do Radiohead MUITO mais importante do que o próprio Radiohead.

Namorar é… se assustar ao ver brincadeiras e ideias malucas virando realidade. “Vamos…?”. Basta o outro dizer “Sim”. Basta isso.

Namorar é… parar, realmente parar. Não fazer nada (nem mesmo nada fazer). A dois, claro.

Namorar é… acordar sozinho com um único pensamento: “Por que mesmo eu não a chamei para dormir aqui?”.

Namorar é… atualizar um Gdoc com anotações e links divididos em “restaurantes”, “locais para dançar”, “ideias” e “presentes”.

Namorar é… ter tempo, muito tempo. Tempo inclusive para fingir não tê-lo, se apressar e fazer caber uma noite em um minuto.

Namorar é… sonhar com uma mulher linda andando ao seu redor, acordar tentando voltar para o sonho e se dar conta que não precisa.

Namorar é… usar email, twitter, blog, sms, caderninho, espelho do banheiro e até google calendar pra deixar recado um para o outro.

Namorar é… escrever no Twitter para 1228 pessoas e ter a certeza de que somente uma entenderá.

Namorar é… continuar com as (deliciosas) one-night stands de solteiro e, depois de anos, perceber que estava saindo com apenas uma pessoa.

sábado, 7 de novembro de 2009

Do que as mulheres gostam


Você anda meio perdido ou desesperado com mulheres altamente exigentes e já não sabe o que fazer para conquistar aquela mulher por quem você está irremediavelmente apaixonado? Acha que chegamos a um ponto em que ninguém mais sabe muito bem o que as mulheres querem (nem elas mesmas)? Não sabe como fazê-la parar de pensar no "senhor perfeitinho" e olhar você, homem de carne e osso?

Fiz uma humilde pesquisa aleatória pra tentar descobrir qual seria a característica masculina mais valorizada. Sabem o que descobri? Indepentende do estilo da mulher (aventureira, patricinha, workaholic, intelectual, esportista ...) todas gostaríamos de ter por perto homens decididos!

É muito simples: somos mais duronas e mais independentes do que éramos. A gente finge que não liga, mas somos capazes de mover mundos e fundos por um homem que sabe o que quer. Nos derretemos por completo por um cara que sorri totalmente seguro de si diretamente para nós.

Quer começar com o pé direito? Então esqueça de uma vez por todas o abominável "tanto faz, o que você quiser/preferir"! Yes, somos flexíveis, mas deixar que a gente escolha o lugar do primeiro enconto, o filme, o destino de viagem e todo o resto é absolutamente irritante. "Você que sabe", pra nós, significa "eu não tenho iniciativa e não sei o que quero" ou, "quero agradar você mas não quero ter trabalho de pensar".

Você duvida? Pergunte a qualquer mulher em qualquer esquina o que ela acharia, por exemplo, de um cara que a convida pra jantar (no primeiro encontro, no aniversário dela, no dias dos namorados ou qualquer outra data) e ao ouvir dela um "onde vamos?" ele responde "tanto faz". Arrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrgh, que falta de atitudeeeeeeeeee.

Você pode não ser o mais maduro, bonito ou independente dos caras, mas, se for um homem decidido, você estará mais do que meio caminho andado, porque uma coisa é fato: um homem que sabe o que quer geralmene não ouve um NÃO, porque eles não sugerem, fazem. Homens decididos nos tomam de surpresa e nos levam sem a gente perceber! Porque, às vezes, não queremos uma sugestão ou um convite, queremos apenas que vocês nos agarrem pela mão e nos conduzam. Simples assim!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A verdade nua e crua



Fim de feriado e lá fui eu ver mais um filme mamão com açúcar. Saí do cinema pensando que tinha sido mais um roteiro escrito por um homem, a julgar pelas piadas e o vocabulário. Mas, surpreeendentemente, o roteiro foi escrito - acreditem - por três mulheres.

Afinal de contas, o que mudou? "The Ugly Truth", cheio de frases com blowjobs, cock e outras "vulgaridades" realmente definem o imaginário de um homem moderno? Ou será que, escrito por mulheres, é apenas um exagero proposital para dizer que as mulheres estão cansadas dos metrossexuais, tipo o "Sr. Perfeitinho" que tá sempre limpinho, pele hidratada, barba bem feita, com a cartilha "como ser um romântico" decorada?

Depois de um filme como esse, pergunto: ser bonito, mandar flores, cartões, fazer declarações de amor, ser bom motorista, ter um bom emprego, fazer tudo certo e ter a vida "estabilizada" (o que quer que signifique isso) parecem ser as características de um homem que nenhuma mulher dispensaria, certo? Se tal homem existe, imagine agora como seria a sua vida com ele.

Pra mim, soa fake como comercial de margarina. Aliás, eu nunca vou entender a relação que fazem entre um pote de plástico de gordura hidrogenada e a família perfeita e feliz! Alguém sabe explicar?!

A verdade nua e crua é simples: o homem perfeito não é um checklist. Temos que aceitar isso. Aliás, temos que aceitar que não existe homem perfeito, estamos todos longe de ser normais ou perfeitos porque esses são conceitos nos quais é impossível enquadrar seres humanos, porque cada um é único. As qualidades que nunca incluímos no checklist do homem perfeito costumam ser exatamente aquilo que falta pra começar, pra continuar, pra dar certo.

Não existe (ainda bem!) um homem perfeito, mas existe SIM um homem que pode ser "perfeito" pra você: um homem de carne e osso, que reúne aquilo que é essencial pra manter o brilho nos seus olhos quando ele te abraçar de manhã e, sem dizer nada, demonstrar o quanto ele gosta de você, MESMO quando você está descabelada e com a cara amassada. Pra encontrar esse homem, no entanto, é preciso querer parar de navegar indefinidamente na superfície das coisas e das pessoas e se jogar! E é preciso jogar fora a lista de exigências e simplesmente se permitir.