sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Retrospectiva

Depois de um ano e meio de Blog, faço uma breve retrospectiva: ganhamos mais de meia centena de seguidores (não são os milhões dos blogs de gente famosa, mas mesmo assim ficamos muito felizes). Ultrapassamos os 11 mil acessos. Ainda não temos respostas pras nossas perguntas. Os homens não mudaram muito - nem as mulheres... mas continuamos nos divertindo escrevendo aqui.

Pra quem é novo ou esquecido, aí vai um resumão com os melhores temas/posts do Blog:

Alguns dos nossos comentários e indicações de filmes e livros:
Closer
500 Dias com ela
Verdade Nua e Crua
Ele não está tão a fim de voce
Alta Fidelidade
A insustentável leveza do ser
Na Praia

Homem é tudo igual?
Sensibilidade Masculina
Maturidade do homem
O homem e o sexo
Sabedoria do namorado

O humor da Lu:
Edital de Concurso para namorado
Sabedoria das Amigas
Casar pra quê?
Dia dos namorados
Ex galinha
Diálogo surreal
Armagedon

As "grandes descobridas" e dicas da Paloma, que escreve as coisas "cheias de insight":
Eu sou o máximo
Sabedoria das amigas
Boca fechada não entra mosca
O que eu aprendi com os relacionamentos anteriores
Manual do Cafajeste (como conquistar um)
Solteira e Sozinha
Como discutir uma realção que não existe

Coisas que só a Gabi faz por você:
O fim do ponto G - Bom pra quem não encontrava, assim não precisa mais procurar - porque a Gabi sempre acaba com todas as nossas ilusões e esperanças. E pra quem achava que tinha encontrado, será a volta dos que não foram, rs.
Cuidados com a Pele
Lições que se aprendem
Pré-carnaval
Sinais
Vivendo e aprendendo
Simples assim
Teoria e prática
Homem e a separação

No mais... feliz ano novo e o desejo de sempre: FELIZ AMOR NOVO pra todo mundo!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Ainda dá tempo

Eu sempre achei site de relacionamento uma coisa meio esquisita, artificial... sei lá. Mas, independente do meu achismo sobre o assunto (porque afinal eu não tenho opinião formada já que nunca experimentei) uma coisa não se pode negar: eles são mais um opção para os solteiros encontrarem sua cara-metade. E não se pode negar que tem opção pra todo mundo. De repente, pra quem tá na pista desolado e não sabe mais o que fazer, vale à pena testar - quem sabe rola pelo menos um encontro antes do ano novo.

Além de todos os sites "padrão" que já existem no mundo, com fotos de mulheres e homens bonitos, tipo o Be2, ou o Par Perfeito, recentemente surgiram uma série de novos sites dirigidos para públicos bem específicos.

É o caso do site para unir feios: The Ugly Bug Ball, que há pouco comemorou a união de casal que se conheceu através do site.

Como o amor é uma falácia, tem site de namoro até pra casados! Uma falta de absurdo, vocês não acham? Pra informação dos leitores, o site faz o maior sucesso, mas esse eu não divulgo o link, pra depois não dizerem que eu sou destruidora de lares.

Ainda na linha do "eu não acredito", tem site de "namoro" (com fins específicos de acasalamento) até para animais. Pra vocês terem uma ideia, um anúncio de um suricato (o Timão, da dubla Timão e Pumba, do filme Rei Leão) recebeu 74 mil acessos e terminou em namoro. De acordo com a tratadora do animalzinho, quando ele encontrou a suricata eleita no site, começou a farejar e cavar pra tentar tirar a "suricata" do caixote em que veio. Provavelmente se eu colocasse um anúncio de namoro não teria recebido tantos acessos (me lembrem de vir como suricato em outra vida!). Aliás, minha labrador preta linda está solteira, alguém tem um labrador que se candidate?


E não é só isso. Existem diversos sites de inclusão social, como o Dating 4Disabled , para portadores de deficiência, e o No Longer Lonely, específico para portadores de doenças mentais, além do site de namoro só para soropositivos, o POZ Personal.

Com tanta opção pra tantas tribos, deveríamos pensar que só fica solteiro quem quer. Será?

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A importância das ex-namoradas

Sabedoria do Oscar Wild:

A felicidade do homem casado depende das mulheres com quem não se casou.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Alguns meninos até ganham pontos...

Assim, como esse blog é escrito predominantemente por meninas, por vezes temos tendência a criticar mais os meninos. Mas, existem momentos em que a gente tem que reconhecer que eles, algumas vezes, nos surpreendem...

Imagine uma mulher chamar seu parceiro, namorado, marido, amante, noivo, ou o que for, para uma sessão de análise. Na boa, a maioria dos caras simplesmente não vai ou, quando vai, comparece com toda má vontade possível.

Agora imagine que esse cara é um EX. Tipo: obrigação zero. Pois é! Soube de um sujeito que foi convidado por sua ex para que ele comparecesse na sessão de análise DELA para que ela conseguisse ter mais clareza sobre algumas questões da vida DELA. Sabe o que ele fez????

ELE FOI.

O sujeito em questão não é nenhum santo, nenhum cara mega legal ou qualquer coisa parecida, mas, sinseramente, temos que reconhecer que isso foi um super point pra ele.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Cartinha ao Papai Noel

Querido Papai Noel,

No ano passado, eu cheguei a pensar que o cupido tinha se voltado contra mim. Quem acompanha esse Blog há de convir que o ano foi insano no que diz respeito a relacionamentos. Mas tudo bem, eu já te perdoei por ter esquecido o meu presente no último Natal.

Vamos ao que interessa. O que eu quero de presente é o seguinte: UM HOMEM PERFEITO. E por perfeito, quero dizer: bem humorado, fiel, bom motorista, bem resolvido, sem kit, nem muito rico, nem muito pobre, alto, atlético, moreno, que não seja machista (nem feminista, senão eu terei que sustentar a casa!), gentil e educado, inteligente, espirituoso e espiritualizado, maduro, bem disposto, que goste de tomar banho, de escovar os dentes e de criança; romântico, independente, que não seja filho único, que saiba lavar louça e cozinhar, que seja solícito e sensível e PRINCIPALMENTE, ao reunir todas essas qualidades, que seja HOMEM (se é que o senhor me entende).

É. Eu sei o que está pensando... mas a quem mais eu pediria isso senão a alguém que tem renas voadoras, mora no Pólo Norte sozinho com 99 anos de idade, tem um trenó que cabe o presente de todas as crianças do planeta e ainda consegue dar a volta ao mundo em apenas uma noite?

Se eu posso escrever pro senhor, bem... é coerente que eu também acredite no amor, em contos de fada e similares, certo?

Com carinho,

Paloma

PS.: Infelizmente, eu não tenho chaminé... mas o meu porteiro, o Zé, é super gente boa e, se eu não estiver em casa, o senhor pode deixar o presente com ele, tá?

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Nem tudo o que reluz é ouro

Colega de trabalho minha, que já foi noiva e hoje em dia está em outra (outro), resolveu levar a aliança de noivado para um ourives derreter e fazer uma joia nova. Comentou a ideia com o namorado, que resolveu doar a aliança do seu ex-casamento para que o pendente da namorada fique maiorzinho. Ela aceitou de bom grado, para surpresa dos outros colegas:
- Mas ele ofereceu assim, do nada?
-O pendente ter a energia da ex-mulher dele!
- Ah, mas a energia dela vai embora quando o ourives derreter o ouro.
- Bom, de um jeito ou de outro, o seu namorado te deu uma joia, coisa que o meu nunca fez
-Você não ficou ofendida com ele querer te dar uma coisa ligada ao casamento anterior dele?

Eu não me importo com reveillon, aniversário, presente de natal, ritos de passagem em geral e posso gastar uma soma indecente de dinheiro em algo completamente supérfluo. Acho que as coisas têm a importância que a gente dá para elas - bom, a não ser o ouro da joia, cujo valor é regulado em mercado internacional. E você, o que acha da reciclagem de uma aliança de casamento?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Esperando o pior

Voltando de uma viagem de fim-de-semana num temporal absurdo e com um ar-condicionado que me fazia bater o queixo, o menino sentado ao meu lado no ônibus, que parecia ser mega tímido, estava fazendo uma cara meio esquisita, como se quisesse dizer alguma coisa.

Com medo de ele ser sem noção (as estatísticas comprovam que as chances de topar com um macho sem noção são grandes), eu meio que virei pro lado e fiquei tentando dormir, mas o frio não deixava.

Lá pro meio da viagem, ele todo sem jeito, depois de tirar o casaco (e eu pensando: um frio do caramba, por que esse cara está tirando o casaco?!) ele diz:

_ Eu queria te emprestar o meu casaco. To te vendo toda encolhida de frio, mas eu estava sem graça de oferecer.

Considerando a infinidade de idiotices que a gente escuta por aí o tempo todo, acho que sempre esperamos o pior. Eu fiquei muito sem graça de aceitar o casaco, mas espero que ele não desista de ser gentil... é bom saber que a classe masculina não está totalmente perdida.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Para refletir

Há poucos meses, houve uma operação especial no meu trabalho, que por poucas semanas envolveu minha gerência numa rotina bem estressante: jornadas diárias de 12 horas, viagens non-stop, ir ao banheiro uma vez ao dia por falta de tempo. Estava comentando esta loucura com um gerente da minha área de atuação e falei "Ainda bem que meu namorado está de férias na Austrália, porque eu fico com todo o tempo disponível para dar conta do tabalho".

Oi? Fiquei louca? Prefiro trabalhar a brincar de fazer neném? Comecei a me corrigir quando o gerente (cujo contracheque deve ser cinco vezes mais feliz que o meu e não faço ideia do estado civil), me interrompeu:

- Olha, pra começar, acho um absurdo seu namorado ficar tão longe por tanto tempo (ele divagou mais sobre este tema, mas não é a pauta deste post). E você tem razão, o trabalho deve ser prioridade. Existem 6 bilhões de pessoas no mundo. Todo mundo namora, casa, várias vezes, com várias pessoas. Ter um parceiro não é um problema. Mas um emprego bom como o nosso, que nos dá tantas oportunidades, isso sim é muito raro. E é isto que você deve abraçar.
Vocês concordam?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Barbas e as danadas

Li num blog o seguinte texto sobre barbas:

"Barba bem feita – Ficará com cara de viado homem carinhoso, meigo. Alguém responsável que tem que estar impecável para os afazeres do dia-a-dia. Um macho que a tratará com respeito e carinho, abrirá a porta do carro e perguntará assim que a ver: “como foi seu dia meu amor?”. É aconselhado o uso em situações mais formais: casamentos, aniversários, entre outros eventos.

Barba Rala (mal feita) – Essa é interessante. Pesquisei com as minhas mulheres enjauladas para pesquisas amigas e obtive o seguinte feedback: Este tipo de barba mostra um homem com cara de pervertido, seria como se ele dissesse: “te quero e te quero AGORA“, é algo mais selvagem, mais macho, são litros e litros de testosterona transbordando pela sua face. É aconselhado para momentos de distração: happy hour, fim de semana na praia e etc.

Barba média-grande – Uma boa barba é imponente e humilde ao mesmo tempo. Barba é coisa de macho. É porte, é majestade. Pode dar uma imagem de displicência ou de seriedade."


Enfim, eu quase não tenho barba e como estou de férias, resolvi, pela preguiça, adotar o estilo "Náufrago", o que gerou, no máximo, uma barba rala e mal feita. Quando, acidentalmente li esse blog agora há pouco, constatei que foi uma mulher que escreveu o texto e essa opinião deve ser uma verdade no universo interno pervertido feminino, pois tenho recebido olhares lascivos mais do que nunca na rua.

Ou isso ou então as pessoas ficaram mais danadinhas neste momento "Rio contra a guerra".

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Seguro contra falta de noção


Na semana passada eu estava indo pra casa depois do trabalho e num trecho de apenas 100m na rua expondo minha figura a outros seres humanos levei a seguinte cantada (se é que se pode chamar isso de cantada): “nossa, você é tão linda que não caga, lança bombom!”.


Eu merecia no mínimo uma indenização, mas seguro contra homem sem noção, do jeito que andam as coisas, deve ser mais caro que seguro de carro no Rio de Janeiro.


Pára o mundo que eu quero descer...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Querido Papai Noel

No ano passado, Papai Noel me deixou sem presente [veja só o que foi que eu pedi ao bom velhinho]. Massssssssssssss, neste ano, além de ter sido uma boa menina, eu também vou fazer meu pedido com antecedência. Aliás, se vocês fossem pedir alguma coisa ao Papai Noel, o que seria?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Diálogos surreais

Acredite, esse diálogo realmente aconteceu!

A amante liga às 2 da manhã pra casa da esposa:

Amante: você está atrapalhando o meu relacionamento e fica se metendo onde não deve.
Esposa: Oi? Quem está falando?
Amante: É a Cristina. Vai dizer que você não sabe quem eu sou? Você sabia que tudo o que ele te dá ele dá pra mim. Aquele microondas que você ganhou ele me deu um igualzinho.
Esposa: São duas horas da manhã, será que você não podia ligar no horário comercial? Além do mais, se você está com algum problema com o seu amante, devia ligar pra ele e não pra mim, você não concorda? Seria idiota da sua parte achar que eu vou resolver o problema de vocês dois pra você, não? Boa noite.

Oi?

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Despedida de solteir@

It's a man's world, como disse James Brown. Outro dia eu estava pensando nos ritos de passagem para a vida conjugal - em bom português, despedidas de solteiro (a).

A despedida de solteiro típica consiste em um bando de homens num strip club. Bebida, cigarro, prostitutas, strip, lapdance - ou coisa pior. Teoricamente, a última vez que o solteiro em questão verá sem roupa outra mulher que não a sua.

A despedida de solteira normalmente é um chá de lingerie. As amigas da noiva a presenteiam com camisolas, espartilhos, calcinhas, cremes e brinquedos eróticos... tudo para que o futuro marido não tenha vontade de ver sem roupa outra mulher que não a sua.

E o pior: já quis fazer uma despedida de solteira para uma amiga nos moldes masculinos, num club de strip de rapazes, e simplesmente não achei lugar no Rio de Janeiro que oferecesse o serviço (não, aquele Ladie's Night do Arco do Teles não conta. Mais hardcore, por favor). Por outro lado, um conhecido não conseguiu fazer sua despedida de solteiro porque todos os prostíbulos da cidade estavam bookados para a Rio Oil and Gas.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Solteira à procura

Amiga desesperada pós feriado sem nenhum resultado positivo no campo afetivo: "Geralmente quando eu encontro um homem que daria um bom marido eu descubro que ele já é".

sábado, 13 de novembro de 2010

Frase do dia

Existem duas maneiras de tratar as mulheres. Até hoje ninguém descobriu quais são.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Em boca fechada não entra mosca

Rapaz e moça têm um grande círculo de amigos em comum, mas pouca intimidade. Em uma festa, eles se afastam do grupo para conversarem sozinhos por um bom tempo. Se você lê este blog é porque é tem mais de oito anos de idade e já sabe onde isto vai dar.

- Sabe, eu sempre te achei muito legal, simpática, inteligente.
- Eu também sempre te achei legal, simpático, inteligente.
- E, bom, também sempre te achei bonita.
- Eu também sempre te achei uma gracinha (você pode estar achando esta estória super fofa, mas aviso que os dois eram comprometidos e, portanto, arderão no mármore do inferno).
- Eu já bati punheta pensando em você.
- ...

Olha, I get it. Eu realmente entendo que homens fantasiem com meninas normais, o que os americanos chamam de “girl next door”. Entendo quando eles dizem que você fica mais bonita sem maquiagem ou é linda acordando. Que não saibam a diferença entre estria ou celulite – a não ser que você queira ficar sem roupa para explicar. Enfim, entendo (e apoio) a preferência geral pela amiga bonitinha da irmã e não pela Paris Hilton. E admiro que num momento tão íntimo e tão libertário, dentre tudo que poderia ter vindo à cabeça do rapaz, tenha sido a moça em questão. Mas, precisava contar? Da próxima vez, diga que pensa na menina. Mas não em que momentos.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Homem que não presta é pleonasmo?

Combinei de encontrar um amigo e uma amiga num bar. Ambos já estavam no local quando cheguei e quando me cumprimenta, o moço diz:
- Você ta bonita com esse vestido.
Um elogio perfeitamente elegante e respeitoso, não? Mas que homem quer ser elegante e respeitoso às 23h de um sábado? Eles preferem deixar clara sua intenção de espalhar a sua sementinha por aí. Dando-se conta da singeleza do seu comentário, ele rapidamente emenda:
- Mas é claro que eu preferiria ver você sem ele.
E, para aumentar suas chances de sucesso, vira-se para a outra moça e conclui:
- E você também.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Três grandes versões do homem-problema


Existem três “raças” de homem que, a meu ver, se não podem ser extintas do planeta, devem ser completamente excluídas da nossa dieta:

1. Tipo “Traumatizadinho com a ex”:

O cara a convida pra um chope coisa e tal, levanta seu ego, fica de papo no MSN e (ops! Lá vai ele) e começa a falar de relacionamentos (ai, ai, ai) e da (tcharammmmmmm) ex. Aí você descobre que eles terminaram há milênios (ui). Me explica: pra que é que ele quer discutir a DR da ex? A Cezar o que é de Cezar! Conversas entre pessoas que estão se conhecendo precisam ser leves e divertidas. Ninguém está interessado em saber do histórico amoroso da outra pessoa. Quer ver o quanto ele está traumatizado? Depois de ser enrolada com lengalenga, pergunte simplesmente: “qual é a sua?”. Aposto que ele vai sumir. Amém!


2. Tipo “Futuro amor da sua vida”
Esse é outro tipinho que morde e assopra e te ronda que nem mosca de padaria. Ele passa anos a fio dizendo que “se nada der certo e a gente chegar aos 35 sozinhos a gente casa”. (Quem?) Apertando a tecla SAP, ele está dizendo: “olha, vou me divertir horrores e pegar geral. Se, eventualmente eu me cansar da farra e não encontrar alguém que me queira, fico com você”. Se você ouve isso com frequência, é hora de dizer "beijo, tchau e não me liga" e dar as costas.

3. Tipo “Eu só quero quem não me quer”:
O pior de todos é aquele que quando está com você vira tua vida de cabeça pra baixo. Te trata muito mais ou menos e você está mal colocada na lista de prioridades dele. Mas você é louca por ele, e fica ali se enganando. Com muito esforço você vira a mesa, sacode a poeira e toma uma atitude e coloca um ponto final. A vida começa a ficar maravilhosa, você começa a se perguntar por quê levou tanto tempo pra fazer isso. E é exatamente quando você descobre que existe vida além da cretinice que a bola de cristal que eles têm ( só pode ser isso) descobre que você está feliz e ele imediatamente te liga pra dizer coisas sem sentido tipo “eu nunca deixei de pensar em você”, ou “estava vendo umas fotos nossas e resolvi te ligar”. Ligar pra quê, cara pálida?!

Pois é. O mundo da dança do acasalamento é complicado. Aos tipos acima citados, uma súplica: façam um favor a si mesmos e não liguem pra dizer coisas sem sentido, parem de ficar provocando ou fazendo promessas absurdas de um futuro que nunca vai chegar. Ou liguem, mas digam logo a que vieram (pra gente ter o direito de aceitar ou não a real proposta). Caso contrário, sigam a vida e preencham o tédio com videogame, o campeonato europeu de futebol, ou o carioca, ou o brasileiro, ou qualquer outra "coisa de menino" que seja interessante pra você.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Cuidados com a pele (?)

"Eu até queria um namorado.. mas só em pensar que não vou mais poder dormir com Hipoglós nos rosto... me dá um desanimo..."

sábado, 23 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Se preocupar pra quê?

Meninas, depois deste final de semana, confirmei uma antiga teoria:

se você não se der bem na noite, não é porque você não estava depilada e nem por causa da cinta que você estava usando no dia. Isso simplesmente não conta quando a parada for pra acontecer.

Num grupinho de... deixa eu lembrar... 7 meninas, duas se deram bem nível 2, três se deram bem nível 1, uma já tinha ído acompanhada e a outra... ah, todo grupo tem uma exceção (rs...).

E a brilhante conclusão que eu cheguei foi a seguinte: o que manda no sucesso da sua noite é a sua autoestima (como se escreve essa palavra agora heim?!), sua segurança pessoal, seu sentimento de "foda-se, quero mais é me divertir" e ainda, claro, umas doses de tequila pra esquentar o coração.

Bom, é isso. Só queria registrar minha reflexão da semana. ;)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Desculpem o transtorno, estamos em obra

No meu trabalho estão fazendo uma obra gigantesca que já dura alguns anos e, com freqüência, tenho que visitar a construção. Hoje eu e várias colegas de trabalho estávamos passando pelo prédio novo, quando ouvimos de um peão:

_ “Não sabia que estávamos construindo um aeroporto”.

Quer doses diárias de auto-estima? Tenha sempre uma obra por perto, porque todo mundo pode ser miss peão. Na pior das hipóteses, rir rejuvenesce e fortalece o abdome. Não tem erro.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Aproveitando a deixa da Guilliod

Bom, aproveitando a "deixa" da Luciana, vou colocar a letra de um samba que não é "à la" dor de corno...
Tô colocando a letra só pra cortar a impressão de que todos os sambas são feitos a partir de desilusões e chifradas...

E podem dizer que é muito bacaninha a letra...



"Ô, cabrochinha
Venha ver quem chegou
Chegou no bico do sapato,
O seu mulato flozô
Bota um vestido curto
Aquele justo lilás
Que tem um corte do lado
E um decote atrás
Dei sorte na loteca
E uma merreca pintou
Repara só na beca
Que o teu nego comprou
Vou te levar pra jantar,
Cabrochinha, dessa vez
Num restaurante francês

Mas “sivuplé”, ô, “messiê” garçon
Leva o menu que eu não entendo lhufas
Eu vou pedir esse Don Perignon
Um escargot e um filet com trufas
Depois daquela sobremesa que flamba
A gente volta pro samba
A gente encerra o glamour
No fim da noite um bangalô,
Penhoar e um abajur
Pra gente fazer l’amour
L’amour toujours..."

sábado, 2 de outubro de 2010

Tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor

Por que, no fim de um relacionamento, todas as músicas parecem falar de você(s)? O começo e o meio de um namoro não parecem render letras tão assertivas quanto o fim. Felipe, não existe um ditado que diz que um coração partido ao menos rende um bom samba?

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Jogo do "Cadê o erro?"

Alguém explica, por favor!

Vamos lá: o cara conhece a moça na bilheteria e demonstra interesse por ela. Os dois conversam enquanto ela espera a amiga chegar na Orquestra Imperial. A conversa é agradável. Ele pede o número de telefone dela e anota no celular. A amiga chega com o namorado e o cara brinca dizendo que a salvou de ficar segurando vela a noite. Em seguida os quatro tomam cerveja juntos antes do show.

Continuando... O Cara dança com a moça, conversa, ri e... Como que numa situação dessas a moça volta pra casa no zero a zero? Qual foi o erro? Em que parte não rolou, ou em que parte ela entendeu tudo errado?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Cinerama

Eu tenho três opções:

1)Parar de assistir comédias românticas;
2)Passar a classificar comédias românticas como fição científica;
3)Alguém, um dia, dedicar uma música para mim num show com a sua banda ou enviar flores de meia em meia hora.

Porque nós vamos ao cinema e achamos que essas coisas existem na vida real - e esse cara ainda terá o layout do George Clooney ou do Ryan Reynolds. É incrível como, nos filmes, ninguém tem medo incendiar o prédio ao lotar o aprtamento de velas acesas e depois sair para jantar ou um homem apaixonado consegue invador uma sala de embarque do aeroporto, mesmo em tempos de super checagens de segurança pós-11 de setembro. Na vida real, romantismo é não errarem o seu nome.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Sabedoria das amigas XXV

Combinando com as amigas um jantar num bar/restaurante hype do Rio:

- Eu vou direto do trabalho, estarei um lixo. Se o homem da minha vida estiver lá, não vai nem me reconhecer.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Revival ou não revival, eis a questão






Chega a noite de sexta-feira. Suas amigas estão animadérrimas com o fim-de-semana e você, meio sensível, meio carente, não quer ver muita gente, mas também não quer solidão. Corre pra locadora e descobre que não sobrou nada nas prateleiras além da versão de lançamento em DVD de O Exterminador do Futuro. E aí você cai em tentação: liga para o ex.

São duas as possibilidades: ele está com alguém ou estará sozinho. Se estiver com alguém, você provavelmente passará o final de semana em uma solidão ainda mais insuportável pensando “esse desgraçado já tem outra”, mesmo que antes disso você nem o quisesse de volta. Mas, se ele estiver na mesma situação que você, não se pode negar o lado prático de um revival: toda a situação dispensa rodeios, galanteios e danças do acasalamento. Você o conhece, tem intimidade e se sente confortável perto dele. Você sabe seu papel e ele o dele. Vocês sabem o que foi que deu errado.

Dessa vez, basta não esquecer de mandar flores nas datas especiais, não repetir os mesmos erros nem as mesmas brigas. É impossível não funcionar, certo? Sabemos o roteiro de trás pra frente, é só fazer um ajuste aqui e ali, tirando tudo o que não dava certo. Simples assim. Perfeito!

Mas aí, depois de bater a claquete os dois começam a errar as falas, as cenas parecem um tanto fora de ordem e você se pergunta: cadê o diretor dessa porcaria?! Pois é. Não tem diretor, não tem script. São só vocês dois, sozinhos no cenário de fundo falso montado por vocês mesmos. E, pior ainda: vocês são os mesmos de sempre... nada mudou. 

Porque nessas horas a gente sempre esquece que teve um motivo concreto para terminar? Não interessa se foi por traição, por distração, porque acabou o amor, ou porque faltou maturidade, cumplicidade ou simplesmente por incompatibilidade de gênios e alma. Amores do mundo real não são como os de Hollywood, onde o vilão inventa que os dois são irmãos e, no final, se descobre a verdade e eles se beijam e ficam juntos, como se nunca tivessem se separado, sem cicatrizes, sem ressentimentos, sem mágoas.

A separação de corpos é triste e a saudade pode até doer, principalmente nos domingos de chuva. Mas dói mais perceber o deserto na convivência com o outro: falta de cumplicidade, de comunicação, de sonhar junto. Da mesma forma que apenas saber o que deu errado não significa que é possível reescrever o roteiro, o fato de falarem, discutirem ou conversarem também não significa que um entende o outro.

Pois é cara-pálida, apesar de ser muito prático ter alguém ali pra resolver seu problema de carência e vice-versa, nem sempre se disfarça o gosto de pão dormido da relação que acabou. As razões que levaram ao fim do namoro pairam no ar. A sujeira está embaixo do tapete e basta um tropeção distraído pra trazer tudo à tona. E é por isso que é muito provável que o revival do amor venha acompanhado de um revival da dor. Será que Vale à Pena Ver de Novo?

domingo, 29 de agosto de 2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Pulo do Gato II

Quando a noite é bonita assim, o dia nasce mais bonito ainda com o sol brilhando que é uma beleza.

Românticos de plantão, nada melhor do que cada um levar o seu par pra ver o sol nascer...


terça-feira, 24 de agosto de 2010

Contabilidade

1 primeiro encontro frustrado. 2,5 anos de novos convites. 2,5 anos de "nãos". 1 pessoa determinada. umas 4 semanas naquele estágio que os atores da Globo chamam de "estamos nos conhecendo". 5 viagens. mais de 2000 fotos. incontáveis jantares e passeios. 1000 brigas e 10001 reconciliações. 2 opções: a gente dorme na minha casa ou na sua? 47 vezes ele foi tomar banho e não levou a toalha para o banheiro. 50 vezes eu reclamei por causa disso. 0 filmes assistidos sem que eu dormisse no final. 1,7 hora por dia conversando no sistema de mensagens instantâneas do trabalho. "2 1/2 men" é um seriado machista que ele assiste e eu recrimino. 3 aulas de ioga que efetivamente fizemos juntos, apesar de sermos da mesma turma. 6 meses de namoro. 1 agradecimento por fazer parte da minha vida. com 3 dias de atraso.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Qual foi o beijo mais inesquecível da sua vida???


O beijo mais inesquecível de nossas vidas não precisa ser, necessariamente, o beijo do nosso grande amor.

Tem pessoas que passam por nós, rapidinho, só mesmo pra deixarem sua marca pra sempre. Claro que há marcas ruins, que não vou nem comentar agora pra não quebrar o clima. Mas há marcas boas como O Beijo Inesquecível.

O meu beijo inesquecível foi quando eu tinha 19 anos. Fiquei com esse cara uma vez só. Mas foi um momento mágico. E, sério, eu juro que ouvi sinos tocarem (e não tinha nenhuma igreja perto). Eu conto pra vocês:

Era um churrasco do trabalho, e eu estava louca esperando por ele. Depois que ele chegou, quando soube que eu o esperava, abriu um sorriso de orelha a orelha. E eu, óbvio, também.

Após muito daquele papo furado pré-beijo, em que a gente (eu e ele) esqueceu que tinham outras pessoas ao redor - e eu só consigo lembrar da música que tocava - fomos pra uma parte reservada da festa (afinal, era um churrasco de trabalho...rs). Ele saiu na frente e eu fui depois ...

- p.s.: o mais legal é que na hora a gente pensa mesmo que engana todo mundo ?! -

... bom, voltando, chegando la, ele me recebeu com os braços abertos, um sorriso enorme de felicidade, e eu recebi o abraço mais gostoso, e o melhor beijo pra mim. Lembro de todos os detalhes até hoje.

Agora, por que foi só uma vez que isso aconteceu já que foi tudo tão perfeito? Não faço a menor ideia. E também não quero saber. Muito mais jogo ficar aqui sonhando com o que é bom, ou melhor, com o que FOI bom.



E você, qual foi o seu beijo inesquecível?



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Da série "fazendo um benchmark"

Porque Paris é tudo de bom e estar apaixonado é melhor ainda.

http://www.parisianevents.com/parisianparty/top-5-most-romantic-spots-to-propose-in-paris/

Ah, já ouvi duas histórias de pedidos de casamento em Santorini que foram negados. Eu não tentaria isso em casa.

Game Over


Quanto tempo se leva pra aceitar o fim de um relacionamento? Dizer adeus a um amor é um processo de libertação que pode ser poético, mas não deixa de ser triste e, ao mesmo tempo, devastador, porque quando um amor de verdade acaba, fica um vazio enorme. Um vazio que não sabemos como preencher, porque, na verdade, não pode ser preenchido.


Talvez não devêssemos olhar o fim de um relacionamento sob a ótica de fracasso ou sucesso. Separar-se pode ser um gesto de coragem ou não-covardia, a recusa de pessoas que se amaram profundamente em aceitar um sentimento menor, murcho ou cômodo em respeito ao amor que já existiu.


Não é fácil aceitar o fim justamente porque essa aceitação pressupõe se admitir falível, assumir as fraquezas e reconhecer defeitos, constatar que não somos blindados. Mais incômodo do que ficar tentando entender os porquês é ainda ter que lidar com sentimentos contraditórios que nos puxam em direções opostas: saudade, mágoa, raiva, culpa, carência, ciúme, lembranças boas, rejeição, medo, solidão, lembranças ruins – tudo junto e com uma intensidade que assusta.


Por que crises existenciais só acontecem quando não estamos no nosso melhor-eu? Bem, acho que é porque felizes, não nos importamos em não ter todas as respostas. Nada importa muito além da felicidade que sentimos e nem percebemos que as perguntas estão lá, em algum lugar, parte inseparável de nós.

Quando aparece na tela do jogo o Game Over é preciso aceitar. E aceitar que é Game Over significa conviver pacificamente com o vazio dentro de nós até que ele feche, sem tapar o sol com a peneira: não estaremos prontos para o amor novamente de um dia para o outro, não teremos todas as respostas e tentar preencher o vazio sem dar um tempo a si mesmo é receita infalível para o fracasso da próxima relação.

Deu Game Over? Sai do Play. Dê um tempo a si mesmo... faça um balanço daquilo em você que não ajudou no relacionamento. Renove-se. Recicle-se. E bola pra frente. Coloque-se inteiro. Nunca se sabe quando você vai acordar e descobrir que ainda pode se apaixonar de novo...

domingo, 15 de agosto de 2010

Essa eu vi no FB

"A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la."

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Eu não tenho noção, e daí?

Eu e uma amiga no metrô, numa linda sexta-feira, indo ver uma peça de teatro:

Amiga:
Sabe a menina que eu divido apartamento? O noivo dela te conhece.

Eu: É mesmo? De onde?

Amiga: Ele estava falando alguma coisa sobre o trabalho dele e eu disse logo: "ah, uma amiga minha trabalha no mesmo lugar que você, o nome dela é Paloma, ela trabalha na Comunicação.Você não conhece?"

Se estivessem só a minha amiga e o noivo da amiga dela em cena, a resposta dele já seria suficientemente bizarra. Mas, pra provar que o céu está longe de ser o limite, a noiva do carinha em questão se encotrava ao lado dele quando ele deu a seguinte resposta sobre como me conhecia:

_ Ah sim, eu já tentei pegar a Paloma, mas não consegui.

Oi? Oi? Hein?

Por quê? Por quê? Por queeeeeeeeeeeee que noção não é uma coisa que se pode comprar na farmácia, tipo em comprimidos de 400mg? É como eu digo, não tem mesmo jeito... NOÇÃO: OU VOCÊ TEM, OU VOCÊ NÃO TEM.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Eu tive um sonho

Se há duas noites eu pesadeleei com meu infame ex-gerente (que na ocasião ao menos me dava o endereço da ponta de estoque da Osklen, coisa que nunca fez na vida real), esta noite o meu inconsciente fez as pazes comigo. Eu sonhei com o Ryan Reynalds. Fazendo uma aula (coletiva) de striptease.


Tudo bem?

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Pulo do Gato I


Nesse “mundo de conquista”, há alguns “instrumentos” que as pessoas não sabem usar direito. Eu considero a dança um desses instrumentos.

Partindo do princípio que dança é um negócio muito pessoal, você não vai querer dançar qualquer ritmo ou projeto de ritmo com qualquer pessoa ou projeto de pessoa. Hoje em dia há diversos ritmos que geram vários tipos de dança, mas eu só considero dança mesmo quando você consegue ter um contato com uma outra pessoa. Dependendo do ritmo ou estilo de música, pode acontecer de você dançar sem sequer encostar na outra pessoa, o que eu acho impessoal demais, mas até que às vezes um olhar bem encontrado num outro olhar, já é uma dança e tanto.

Eu prefiro um tipo de dança que é mais tradicional, aquela mistura de dança européia com influências africanas e que depois acabou virando um negócio europeu-afro-brasileiro. Nesse “universo” tem o choro, o samba, a polca, o maxixe, o lundu, o batuque, o forró, o jongo, a valsa, o tango (o argentino é mais conhecido que o brasileiro, mas são todos da mesma época e com as mesmas influências), enfim, tem um monte de gêneros musicais que até hoje são muito bons de dançar. A mistura disso é um negócio bem carioca e você não precisa ser um exímio dançarino para, digamos, tirar proveito disso para conquistar ou se “dar bem”, caso este seja seu intuito. Tem que ter o mínimo de jeito e bom senso,é claro. Não adianta chegar todo sem noção em uma garota, falando um monte de péla-saquices, enquanto você pisa nos pés da mesma.

Visualiza bem, num tipo de dança desses, você não precisa falar muito, o seu olhar já diz um monte de coisas, principalmente na hora de convidar a menina pra dançar. Além disso, o contato que tem com ela é muito grande e, provavelmente, já dá pra ter uma noção de toda a afinidade que vocês poderão ter só por esse primeiro contato. É claro que com umas aulas de dança de salão, o cara consegue se virar, mas eu arrisco dizer que não precisa nem fazer aula. Se você estiver dançando algo que gosta, num lugar bacana e vê alguma garota interessante, por que não dançar com ela? Na pior das hipóteses, você já vai sentir o toque da menina, o cheiro e todas aquelas outras coisas boas já possíveis de serem percebidas em uma primeira impressão. Não precisa ser nada perfeito em termos de dança, mas tem que rolar uma harmonia, um equilíbrio...

















Resumindo, rapazeada, quando você está num lugar que é pra dançar, vê se não vai perder tempo enchendo o saco de ninguém com ideias erradas. Chama a garota pra dançar e tenta correr o risco de ouvir um “não, obrigada” ou então passar uma noite (talvez a primeira de muitas com ela) bem interessante.


(Demorei, mas escrevi! hehehe)


Coisas que só um namorado faz por você

Academia: 150,00 (200 min de esteira, musculação, exercícios reforçados para o bumbum e 500 abdominais por semana)
Creme anticelulite: 80,00
Drenagem linfática: 70 (a sessão)
Yoga: 180,00
Creme anti-idade: 200,00
Manicure e pedicure: 32,00
Salão: 100,00
Livros Cult: 300,00

Alimentação balanceada, meditação... tudo pra você ficar linda e zen, uma pessoa adorável, bem-cuidada, inteligente, uma namorada quase perfeita.

E o seu namorado chega e diz, assim como se fosse a coisa mais normal do mundo:

_ o que eu mais gosto em você é o seu pé.

Oi?

sábado, 7 de agosto de 2010

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

No meio do caminho tinha uma vaca

Sempre tem uma vaca no meio do caminho, como diz minha amiga Rosana. Aliás, é isso que as mulheres dizem por aí. Pelo visto, o Drummond estava totalmente enganado: o problema não era a pedra que ele viu com suas retinas fatigadas. O problema era a vaca, sempre foi.

Eu reparei que sempre que existe uma ex, uma amante ou qualquer coisa do tipo no meio do caminho, todas elas tem o mesmo nom
e: Vaca. Podem reparar: as mulheres sempre se referem “àquela mulher” como “aquela vaca”: “aquela vaca é que fica se atirando”, “aquela vaca fica ligando”, “aquela vaca é uma vaca!”.

Então, para minhas amigas em cujo caminho sempre existe uma vaca, aqui vão (1) a prova matemática de que todo mundo tem não só uma, mas duas vacas e (2) uma breve antologia das duas vacas, porque uma só é pouco e três já seria demais!


(1) MATEMÁTICA DAS DUAS VACAS:


Essa prova matemática também pode ser escrita nessa outra equação:



Onde Moo é a medida métrica universal.


Uma longa pesquisa matemática levou a descoberta de novas verdades relativas a propriedade de duas vacas. Atualmente, 45.893 verdades com duas-vacas são conhecidas. Nostradamus demonstrou em 1555 que o número total de variáveis com duas vacas é infinito.


(2) ANTOLOGIA DAS DUAS VACAS:

Oscar Wilde: “Eu não tenho nada a declarar sobre minhas duas vacas”.

Captão Óbvio (sobre você tem duas vacas): “Eu tenho o quê?”

Zagallo: “Você tem duas vacas não tem 13 letras...Merda!”

Zagallo: “Vocês vão ter que engolir as duas vacas!”

Leônidas: "Essa noite...As duas vacas jantarão no inferno!!"

Matrix: “As duas vacas são a visão que o mundo tem te dado da verdade.

James Bond: “Vacas...Duas vacas”.

Roger Waters: “Tenho duas vacas. Teria três, mas David Gilmour e George W. Bush secretamente estão conspirando contra mim”.

Paris Hilton: Tenho duas vacas, MUITO redondas, macias e rosadas... Querem ver?

Benito Mussolini: Estas duas vacas querem a paz, a vida, e calma. Vou dar essas coisas com leite, se possível, com a carne se nessessário.

Hortelino Troca Tetras: Você tem duas vacas toelho miselável!

Mestre Yoda: Duas vacas ter você.

RSD2: beep beep blip beep

Darth Vader: “Venha para o lado da duas vacas da força”.

Luke Skywalker: Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

Obi-Wan Kenobi: Isso não é uma vaca. É uma estação espacial!

Tyler Durden: “Você não é suas duas vacas. As duas vacas que lhe pertencem, acabam possuindo você. Você tem que se libertar de suas possessões de vaca. Só por destruir suas duas vacas você pode nunca saber o que é ter duas vacas. TV nos enganou a crer que teríamos todos duas vacas. Estamos apenas começando a perceber que nunca teremos duas vacas, e nós estamos muito, muito chateados. Se esta é a sua primeira noite no clube da vaca, você tem de ordenhar”.

Carlos Drummond de Andrade: No meio do caminho tinham duas vacas. Tinham duas vacas no meio do caminho!


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Filosofando

Quando algum desavisado - por qualquer que seja o motivo, de traição a distração - vier com alguma desculpa, seja ela esfarrapada ou não, para tentar justificar seus deslizes, responda com a sabedoria de Aristóteles:

"Se está a nosso alcance fazer, também está não fazer."

domingo, 1 de agosto de 2010

É tudo uma questão de escolha

Outro dia estava conversando com uma amiga sobre (adivinhem?!) homens e relacionamentos.


(Oh! surpresos???)

Enfim, não dá pra negar que são assuntos interessantíssimos e que rendem muito papo. Então,em determinado momento falávamos sobre o que buscamos para nossas vidas no futuro. Foi quando falei da minha atual lista de "exigências" para entrar novamente num relacionamento e que hoje penso mais em me casar com o mundo - por meio de viagens e mais viagens - do que constituir uma família tradicional.


E eis que ela me respondeu o seguinte:

"(...) pois eu estou bem prática hoje em dia: busco um homem que seja um verdadeiro chefe de família. Que seja um bom pai, um bom marido e trabalhador (...) acho que se eu passasse a vida viajando eu perderia isso."



Da mesma maneira que respondi pra ela na hora, acho legal essa resolução. Acho mesmo. Se o objetivo dela é constituir família e ter esse modelo de vida, acho que ela está certíssima. E tem mais: acho digno quem assume essa ideia e se planeja pra isso. Com certeza, tem muito mais chance de dar certo por esse caminho.

Assim como eu argumentei pra ela, no final, a gente sempre sai "perdendo" alguma coisa. De fato, se você opta por conhecer o mundo e viver pra si própria, perde-se essa coisa legal de família, filhos, um legado e tal. Mas escolhendo a vida "Amélia", você perde todo o mundo e todas as experiências que cada viagem, cada pessoa nova, que cada lugar diferente pode lhe proporcionar.

E é aí que eu argumento que tudo isso nada mais é do que uma questão de escolha. E, na minha opinião, as duas alternativas são válidas. A pessoa só precisa decidir sobre qual das duas maneiras vai ser mais feliz. Ou qual das três, quatro, e mais tantas opções diferentes possíveis. Você pode decidir que sua felicidade está em cuidar de cavalos em uma fazenda, ou que você se sentirá de fato realizado se for morar num mosteiro, num convento, ou num refúgio qualquer.

Acho que devemos nos respeitar e esquecer um pouco os padrões. Pra quem decide por essa vida mulher + marido + filhos + cachorro porque realmente acredita, ótimo. Mas pra quem pensa diferente, é muito válido ousar - sim, acredite, isso ainda é ousadia atualmente .

Liberdade para decidirmos por nosso caminho. Liberdade para mudarmos de ideia no meio dele. Pois, como eu costumo dizer, os outros sempre estarão ao redor, olhando, vigiando, observando. Mas a única pessoa que nos faz companhia 24h somos nós mesmos. As únicas pessoas que conhecem, realmente, nossas dores e alegrias, somos nós. Portanto, é por isso que acredito que devemos priorizar nosso bem-estar. Para sermos felizes. Para fazermos outras pessoas felizes.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Um lembrete


De vez em quando a gente se distrai e quase esquece a única coisa que conseguiu aprender sobre o amor: que não entendemos nada do assunto.

Considere este um mantra, um lembrete para que, na melhor e na pior das situações você saiba sempre a realidade das coisas, que a vida é como ela é e que o amor é uma falácia.

No matter what, no final das contas, ele vai te surpreender... é só uma questão de tempo. Geralmente a surpresa vai acontecer justamente quando você começar a achar que está entendendo do assunto e está dominado esse campo da sua vida com destreza.

É aí que o amor se vira pra você, dá a sua risada sarcástica e diz: "Baby, isso não vai acontecer".

domingo, 25 de julho de 2010

FB

Querido Facebook,
Apesar do que as dezenas de pessoas em comum podem levar a crer, eu não quero acrescentar aquele ex-namorado à minha relação de amigos do facebook. Por favor, não insista. Obrigada.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Quem somos nozes!

Cada uma com um perfil e uma visão sobre o amor... mas todas com algo em comum: ninguém entende nada do assunto ;-)

Em vez de fazermos autopropaganda, pedimos que amigos e amigas nos descrevessem quando o assunto é .... AMOR. Resultado: filme queimado, com certeza.

Pah

Serial dater, pára-ráio de homem maluco. Tem as histórias mais bizarras sobre relacionamentos, encontros e desencontros. Já saiu com caras absurdamente loucos pelo puro instinto de antropóloga, ou só por ser serial dater mesmo. Quando se apaixona de verdade, não importa o quão louca seja a situação: ela é quase suicida amorosa, não existe conselho de amiga que a faça não se jogar de cabeça.

Mas isso não quer dizer ela saia com qualquer um.... Ô mocinha difícil de agradar! É difícil conseguir ser a criatura que a faça ficar com aquele brilho nos olhos! Caras normais, previsíveis e acessíveis não conseguem mais do que um oi seguido de um tchau. Ela pode até negar, mas para agradá-la de fato é importante que o carinha em questão tenha algum diferencial maluquinho, o que acaba tornando-a um pouco maluquinha também. :-)



É a autora do Blog que geralmente escreve "coisas sérias e cheias de insights". Definitivamente a romântica por aqui, com suas excentricidades: consegue sair e beber todas num dia, mas pode sentar num bar sábado à noite e tomar água com limão e laranja e comer salada.


Luca

Luca é objetiva e prática: ou você quer, ou você não quer. Ou você vai, ou você não vai. Não se envolve emocionalmente, não se apega, não liga no dia seguinte, ou liga - porque ela não segue nenhuma cartilha, todos os relacionamentos - sem exceção - são freestyle.

Ela sempre diz "I don't do dating, só faço freela". Ha, ha, ha! À primeira vista, pode até parecer. Mas, no fundo, um dia descobriremos que a Luca é, na verdade, a mais romântica e sensível das três.

O único problema dela no amor é o jeito que ela se enxerga. Porque o que ela é, no fundo, é uma "menina" muito especial que se recusa a admitir que, como qualquer pessoa no mundo, quer gostar e ser gostada na mesma medida e encontrar alguém especial que encerre esse eterno ciclo de experimentação de sua vida de freelancer do amor.



Gabi

Gabi é impulsiva, descoordenada, e muito desligada. Não tem nenhum talento no mundo da conquista e não entende nada dessa coisa de dança do acasalamento, flerte e pegação. Ela não tem paciência, acha que tudo isso dá muito trabalho. Desculpa esfarrapada? Egoísmo? É bem possível... porque é bem provável que a "falta de paciência" seja só uma desculpa que esconde a constatação de um "você não é interessante o suficiente pra me fazer esticar o braço". She still haven't found what she's looking for...

Tem um estilo de "a super sincera", o que permite que as pessoas percebam muito claramente se ela gostou ou não delas. Acredite, não fica qualquer dúvida. Além disso, anda pra cima e pra baixo com o manual "como ser escrota pra caralho, nível avançado"... diz ela que toda essa objetividade é ótima pra ela e pros outros: eles não perdem o tempo deles e ela não perde o dela.

Fã incondicional do Tarantino, se você a convidar pra assistir os dois volumes de Kill Bill - com bastante sangue, porradaria, espadas e afins - é capaz de conquistar o coração da Gabitrix. Se bem que, a essa altura, conquistar o coração da Gabi vai ser difícil: se alguém aqui trocou o coração por um fígado, definitivamente foi ela.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Fofo

http://vimeo.com/13259028

Coisas que só acontecem no cinema, nas novelas ou na internet. Na vida real, você compra a sua própria aliança e olhe lá.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Da série: casar pra quê? III

Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes: o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer. Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura. Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe entreguei.
- Quando você terminar de cortar a grama, eu disse, você pode também varrer a calçada.

Dia Mundial da Liberdade

Nada melhor do que ver uma mulher, livre e sem frescuras, em contato com o campo e com as coisas boas que o campo pode lhe proporcionar.

terça-feira, 13 de julho de 2010

lições que se aprendem

''Primeiro passo pra pegar mulher: Não usar, em qualquer circustância, a expressão "pegar mulher".

By @hugogloss

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Lições de Frida Khalo e Diego Rivera

1) Um casamento aberto é ideia de sempre uma das partes. A outra está apenas resignada.
2) Um casamento aberto, na verdade, começa porque uma das partes já (no mínino), entreabriu o casamento.
3) Mesmo num casamento aberto uma das partes consegue fazer merda. Como pegar a irmã mais nova da esposa.

Mais sobre Frida Khalo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Frida_Kahlo

Da série: casar pra quê? II

Eu me casei com a 'Sra. Certa'. Só não sabia que o primeiro nome dela era 'Sempre'

sábado, 10 de julho de 2010

Da série: casar pra quê?

Se a Luca é adepta da filosofia "I don't do dating, só faço freela", eu (e quem sabe a Gabi também) poderia criar uma religião "I don't do marriage, só faço dating". Pare o mundo que eu quero descer... a cada pérola sobre casamento, eu fico mais propensa a me perguntar: casar pra quê?

"Lembrem-se, o casamento é a causa número um para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento"

sexta-feira, 9 de julho de 2010

High Fidelity


Já disse por aqui que adoro os escritores que me deixam com uma sensação de "ei, eu sempre pensei assim, mas nunca expressei tão bem!". Nich Honby e seu Rob Gordon, de Alta Fidelidade, são bem por aí (aliás, super recomendo os livros do Nick Hornby. São sempre fáceis de ler no original e me fazer achar que meu inglês é espetacular). Ele(s) tem um raciocínio que é mais ou menos assim:


"Nas revistas femininas as mulheres estão sempre reclamando que os homens não gostam de preliminares, que preferem partir logo para o ato sexual em si. Que eles são desajeitados, egoístas e mal as tocam ou estimulam. Bom, eu acho isso muito irônico. Você passa uns bons três anos da sua vida, em uma fase importante para a formação da sua personalidad, em que tudo o que quer é ficar horas beijando e passando a mão numa menina e elas nunca deixam. E agora elas reclamam? Pelo visto, o casal perfeito é formado por uma leitora de Nova e um menino de 15 anos".

Homem invisível


Numa conversa de bar, pessoas questionavam a existência do namorado de uma das raparigas presentes, dizendo que ninguém conhecia o cara e tal e que ele só podia ser imaginário. Eis que a moçoila responde:

_Eu posso ser esquizofrênica, mas pelo menos eu tenho uma a outra

Será a esquizofrenia uma solução intermediária para a solidão? Melhor um namorado imaginário que nenhum? É, pode até ser, mas eu ainda prefiro os homens de carne e osso...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Sabedoria das amigas XXIII

Uma amiga, sobre seus relacionamentos desastrosos:

_ Eu sempre achei que as experiências passadas iam servir para o próximo relacionamento. Sempre imaginei que "da próxima vez" eu ia ser capaz de detectar mais cedo que o relacionamento está morno, pra não ser pega de surpresa com um pé na bunda "inesperado". Mas a verdade é que os homens SEMPRE surpreendem, e não importa o quanto eu aprenda com em relações anteriores... eu sempre tenho essa sensação de que experiência é algo que você não tem até logo depois de precisar dela, no matter what.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Sabedoria das amigas XXII

Uma amiga minha costuma dizer que sempre que ela faz alguma coisa "errada", ela faz com vontade, porque a pior coisa do mundo é quando você faz pela metade e depois paga como se tivesse feito por inteiro.

Um amigo meu também diz que é a Lei de Murphy: as respectivas nunca estão lá pra ver quando eles resistem bravamente a dezenas de mulheres lindas que dão em cima deles... mas basta um deslize, uma conversa, risinho ou aproximação entre dois corpos "quase meio que sem querer" que alguém aparece pra filmar de camarote e dizer "aposto que ele faz isso o tempo todo".

E é por isso que eles todos dizem:

_ Evite acidentes, faça de propósito!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Diálogos com o namorado II

No desfile da Orquestra Voadora, no carnaval deste ano.
- Ih, não tão mais tocando trombone. Não é pra menos. Deve ser super cansativo ficar soprando aquilo por horas a fio.
- Pois é. Blow job não se chama job à toa.

domingo, 4 de julho de 2010

Sabedoria das amigas do twitter

"Preocupada porque ele não liga, sumiu? Fique tranquila! Assim que ele precisar de algo ele te acha por todas as vias: telefone, MSN, Facebook, Orkut..."

sexta-feira, 2 de julho de 2010

A auto-estima feminina

Seu namorado diz que você está gostosa, e você acha que ele quis dizer "gorda". O colega de trabalho diz que você está magra demais e que fica bem melhor com 3 quilinhos a mais e você acha o comentário dele o máximo, só porque tem a palavra "magra" no meio da frase.

Lembro claramente que durante um longo período de solteirice achei que havia alguma coisa errada comigo. Eu passava em frente a prédios em construção, portarias e pontos de táxi e nada, absolutamente nada acontecia. Digo: não arrancava nem um fiu-fiu sequer.


Só uma mulher pode entender os efeitos psicológicos causados pelo fato de não causar qualquer reação em frente a uma obra: é o tipo de coisa que poderia abalar a auto-estima de um ser do sexo feminino pra todo o sempre!


Vai entender: odiamos cantadas obscenas e jamais nos aproximaremos de homens que nos cantem assim, mas, por outro lado, se não recebemos tais cantadas, achamos que há algo de errado conosco. Gorda demais? Magra demais? Transparente talvez? Seria algum problema com meus feromônios me tornando desinteressante e sexualmente nula ao sexo oposto?

Eu simplesmente não entendo como funciona a tal da auto-estima feminina... alguém me explica!!!!!!!!!!