domingo, 10 de janeiro de 2010

Cap I - Por que a mulheres preferem os cafajestes?


Ok, você já sabe identificar um cafajeste e provavelmente caiu a ficha de que você se encantou por mais tipos assim na vida do que imaginava. Isso se não estiver encantada por um exatamente agora! No meio de dramalhões mexicanos de amigas que foram ludibriadas, enganadas e tiveram seu coração partido, é ululante que a atitude "cafajeste" desperta muito mais o interesse de uma mulher que a de "bom moço". E eu acho que isso tem explicação!

A pergunta que não quer calar: porque preferimos os cafajestes?

Well, my dear, é muito simples. Ao contrário do que se diz por aí sobre como o olhar das mulheres é futilmente atraído por dinheiro, beleza e status (a invasão das Marias - a chuteira, a gasolina, a tatame, a batalhão e até Maria-fuzil) não estamos interessadas nem no dinheiro, nem no carro, nem na fama, nem no poder em si. Não, não. Não somos de fato nenhuma outra Maria que não a “Maria-vai-com-as-outras". Queremos, na verdade, o que as outras querem ou parecem querer.


Tá achando que eu tô tirando isso da minha mente criativa? Ãnh Ãnh. É oficial: uma pesquisa feita com 35 mil pessoas de 57 países foi publicada na revista New Scientist diz que os canalhas tem mais sucesso com as mulheres. E ainda de acordo com pesquisa da universidade de Oklahoma, conduzida pelas pesquisadoras Jessica Parker e Melissa Burkley, mulheres preferem homens casados.


Como falei no post anterior, não se pode negar que os cafajestes são mais sedutores e instigantes. Eles sabem dizer o que queremos ouvir. Não é à toa que são tão desejados pela maioria: eles são confiantes, atenciosos, bons amantes e extremamente concorridos! Homens bonzinhos, por outro lado, ao quererem oferecer seu coração de bandeja retiram de nós a possibilidade da conquista. Sem isso, somos impedidas de tentar ser aquela (the one) que vai conquistar o coração mais desejado do pedaço.


Não podemos nos sentir especiais se não pudermos de alguma forma provar isso. Em outras palavras, ainda que você corra mais que uma lebre, jamais entrará numa corrida em que não haja competidores, porque não existe mérito sem esforço, simplesmente não tem graça.

Quando conquistamos um homem desejado por todas, na nossa cabecinha de vento, achamos que estamos sendo escolhidas entre todas e, por isso, somos especiais, da mesma forma que ao desejar um homem casado, não desejamos o homem em si, mas o objeto de desejo de outras mulheres.


Ao contrário do que pensamos - de novo! - estamos mais uma vez escrevendo certo por linhas tortas. Sem entender nossa lógica às avessas ficamos nos perguntando por que temos o dedo tão podre pra homem quando nos apaixonamos pelo cafajeste. Na verdade, estamos tentando encontrar outra coisa. Desejamos algo que mesmo aqueles que não sejam deslumbrantemente bonitos, ou ricos ou concorridos como os cafajestes podem nos oferecer (pelo menos em teoria): nos fazer sentir especiais.


Ou seja: não desejamos o cafajeste especificamente, desejamos nos sentir a mais desejada das mulheres. O problema, nesse caso, não é o cafajeste em si, mas a forma como buscamos nos tornar mulheres especiais.

Sofremos de uma alucinação louca. Corremos atrás de um desejo irrealizável porque não existe no mundo homem que possa nos escolher entre todas as mulheres. Brincamos de gato e rato o tempo todo. Nenhum cafajeste vai ser capaz de nos fazer sentir únicas, one of a kind, assim como também nenhum dos corações que um cafajeste seduzir vai conseguir satisfazê-lo.


A verdade nua e crua sobre nossa “preferência"

1. Nós não preferimos, nós escolhemos os cafajestes (seja pelo seu poder de sedução, seja pelo efeito manada que eles provocam, seja pra alimentar nosso ego). E fazemos isso porque enxergamos neles um oásis no deserto... quando pensamos que vamos matar a sede, percebemos que era apenas uma miragem.


2. Não somos nem nunca fomos enganadas por eles, não adianta fazer drama, nem reclamar de falta de sorte no amor, nem achar que não existem homens bons no mundo. Não gostamos de sofrer, gostamos do Manoel Carlos. Queremos grandes reviravoltas, fortes emoções, expectativas, conquista, desejo, brigas, reconciliações, imprevisibilidade... um relacionamento com vida.


3. O mundo ta cheio de homens bonzinhos. É isso mesmo! Insistimos que eles não existem quando na verdade nós é que não temos olhos pra eles! Bonzinhos não nos fazem especiais, e esse é o problema com eles (além deles serem monótonos, não serem sedutores etc e tal). Se somos bonitas, inteligentes, gostosas, ricas e sei lá mais o que, continuamos sendo uma no meio de tantas. Queremos mais, porque isso tudo não é suficiente perto do incomparável “você é especial”. Hell yeah! Queremos ser únicas na cidade, no estado, no planeta, fora do planeta até (se houver vida extraterrestre), no universo e, se possível for, em todas as galáxias que puderem existir...


Leia também:

Introdução ao Manual do Cafajeste

Cap II: Passo-a-passo para utilização do cafajeste

11 comentários:

  1. Opa! Bacana o blog aqui, hein? Li alguns posts variados e gostei muito do "Mesa pra dois?". Bem escrito e bem real.


    Gostei do teu comentário lá no meu. E não dá pra chegar a nenhuma conclusão mesmo sobre amor. A gente tenta discursar sobre, mas é tudo muito coisa de momento. No caso lá do conto que eu falei é bem assim.

    Não importa como você ache, mas você sabe que de alguma forma você vai achar...
    Não necessariamente você vai escolher o mais complicado, porque é o mais complicado. Pode ser do jeito que foi lá, todos casados com outras pesssoas vivendo infelizes ou de forma incompleta e acabaram se apaixonando e tal. E pode ser também da maneira mais simples possível: aquela pessoa que você já conhecia e de repente acabou olhando de outro jeito e gostou muito do que viu.
    Pode rolar de você não estar com a cabeça e as idéias disponíveis em determinado momento e "perder" alguém legal. E o oposto disso também pode ocorrer. É esse negócio de brilho no olhar mesmo. Mas esse brilho não se explica não, né? Enfim, é um tema muito bom pra ficar pensando e escrevendo. Gostei da idéia de vocês aqui e vou tentar ler bastante coisa.


    Vou dar uma lida também no manual daqui pra ver se tenho feito tudo certo hehehe...

    Beijos,
    Felipe

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do "fidelidades perversas" e "traições de grande lealdade".

    Vou botar esse livro aqui na fila pra daqui a 10 dias, quando eu voltar de fato à "civilização cultural" hehehe


    E essa experiência estranha, hein?

    ResponderExcluir
  4. ou seja mulheres são podres.

    ResponderExcluir
  5. Decorre que as mulheres na realidade querem todos os homens a seus pés. Querem sentir-se desejadas por todos e isto as excita porque podem assim dispor do dinheiro e do status de todos eles juntos. Não querem se sentir intensamente desejadas em troca de nada como a senhorita quer fazer parecer.

    As mulheres desmaiam durante os shows dos famosos e ricos devido à atração que sentem pelo poder, status e fama. Estes itens faze-as sentir-se protegidas e amparadas contra qualquer eventualidade ruim.

    O cafajeste por ser duro de se conquistar é visto como um grande desafio capaz de testar o poder de sedução e persuasão feminino até os seus limites.

    ResponderExcluir
  6. Massacre... releia o texto mais umas duas vezes. Acho que vc não entendeu bem. 1º: as mulheres não querem se sentir desejadas por todos, mas por um cara bom o suficiente pra que ela se sinta especial. Em outras palavras: ter nossa beleza elogiada por um cara feio, sem charme e sem nada que eu admire é "bom". Mas ser elogiada por um cara que a gente acha o máximo (não necessariamente ele precisa ser rico ou famoso pra eu achá-lo o máximo), isso sim é o que tem um real valor do elogio que queremos. Por isso as mulheres querem conquistar o homem concorrido: porque elas querem ser aquela que conseguiu o que poucas poderiam conseguir. É pura questão de ego.

    Idiotice? Provavelmente. Não acho que nos tornamos especiais por causa do outro e por isso é inútil correr atrás de coisas assim. Temos que nos sentir especiais pelo que somos, por nós mesmas.

    Quanto a mulheres que desmaiam por causa de ídolos... acho que isso não tem nada a ver com o que estou abordando aqui. Admirar um artista porque ele é bom no que faz é uma coisa, desmaiar porque ele é lindo, famoso e sei-lá-mais-o-que me cheira a falta de auto-estima, carência e falta do que fazer até. É meio absurda a idéia de que um homem famoso inalcançável que nem sabe que você existe vai fazer alguém se sentir protegida e amparada... é vivre muito no mundo de matrix

    ResponderExcluir
  7. Eu penso diferente. Acredito que o cafajeste as atrai porque ele imita o comportamento do homem famoso, poderoso e perseguido por muitas que acena com a possibilidade de oferecer cuidados e proteção. O cafajeste não possui nada de especial além de sua habilidade em mimetizar aqueles homens realmente interessantes, que possuem muitas posses e atraem muitas mulheres lindas e são capazes de fazer sua parceira sentir-se completamente protegida e amparada.

    As mulheres pensam tão logo domam um cafajeste arredio "Eu sou a mais linda e atraente de todas as mulheres porque eu conquistei o mais difícil de todos os homens. EU PORTANTO POSSO CONQUISTAR TODOS OS HOMENS QUE EU QUISER E PORTANTO NUNCA FICAREI ABANDONADA E DESAMPARADA."

    Claro, todo esse processo seria instintivo e subconsciente. A auto-estima de uma mulher está relacionada intimamente ao seu poder de sedução. Inversamente, a mulher fica deprimida e sente-se abandonada e largada ao relento quando não consegue despertar o interesse sexual desses homens interessantes.

    ResponderExcluir
  8. Por que a mulheres preferem os cafajestes?

    Porque não tem como preferir o que não existe.

    Homem, 100% não presta, é canalha, sujo e cafajeste.

    E cada um destes porcos, sempre se diz a exceção, por isso que dizem que as mulheres preferem os outros, os cafajestes.

    São porcos imundos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou aí uma frustrada que provavelmente deu com os burros n´água por ter escolhido mal o pretendente.

      Não entendeu bulhufas do texto, não é mesmo?

      Te digo de certeza: Os bonzinhos até que existem, mas muitas vezes são massacrados pela mulheres imprestáveis...

      Isso mesmo, não existem só homens canalhas como afirma. Tem muita mulherzinha que não vale o que o gato enterra. (Ainda bem que não são todas!)

      Ou seja, é guerra pra todo lado, um lado corrompendo cada vez mais o outro.

      Mas fazer o quê? Relacionamentos são assim mesmo...

      Excluir
  9. Essa Fabiana aí é revoltada, heh heh...

    Tá, e aquele papo de que "as mulheres querem se sentir protegidas e tal?..."

    O texto tem certa razão mas não deixa de ser falacioso em alguns aspectos. "Brigas, reconciliações"? São raras as mulheres que têm estrutura pra aguentar um relacionamento cheio de brigas, com um cara apontando o dedo na cara e dando moral. Duvido que tenha uma aqui que goste disso! Até porque muitos relacionamentos acabam na primeira briga.

    E não é porque o cara é "certinho" que não vá rolar quebra pau. Muito pelo contrário. O cara certinho valoriza sobretudo o lance moral. Acha que basta ser fiel e pronto, a mulher vai se sentir grata. "Não basta o compromisso, vale mais o coração", diz a letra da música. Muito cara certinho (que tem fidelidade como valor absoluto), quando é frustrado com o desinteresse repentino da mulher, quebra o pau feio.
    Nem sempre as brigas são um tempero positivo ao relacionamento. O que mais uma vez demonstra que as mulheres "são coração"; não gostam de passar constrangimentos, medos, humilhações... E aí entra a figura do "protetor": o cara capaz de trazer segurança contra esses incômodos. E, nesse caso, não importa que tenha fama de sair com muitas. O que precisa é apenas não se apegar a nenhuma, tratá-la bem e fazê-la se sentir única, mesmo sendo a outra. Uma espécie de ópio contra os males da vida.

    Viva a cafagestagem. O verdadeiro cafageste é um bodsatva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei escreveu Bem...cafagestagem sem saber que e cafajeste...Esse e meu caso.

      Excluir