terça-feira, 30 de março de 2010

Amor igual ao teu

"Por que você não me quer? Eu te amo tanto que o meu amor é suficiente pra nós dois."

Você pode gostar de rosa e ele de azul, você pode gostar de rock e ela de música clássica. Desde que o abismo entre vocês não seja grande demais a ponto de impedir que vocês compartilhem coisas juntos, até aí tudo bem. MAS, existe uma igualdade (que não tem a ver com vocês compartilharem os mesmos gostos) que é FUNDAMENTAL em qualquer relacionamento, sem a qual não é possível seguir junto: amar o outro na mesma medida. E, só é possivel amar o outro na mesma medida quando os dois crescem juntos. Se alguém fica pra trás, a coisa desanda.



Não quero um homem para idolatrar, e também não quero que homem nenhum me coloque num pedestal para me adorar. Quero que ele me olhe como igual. Ele pode não ter o amor maior do mundo, mas se o amor que ele sente por mim tiver a mesma medida do que eu tenho por ele, então tamanho não é documento. Quero que ele me queira como eu o quero. Mais que isso: preciso olhar nos olhos dele como igual, ou serei automaticamente incapaz de amá-lo no momento em que ele me amar demais ou de menos.

Mas, se eu não acredito que exista um jeito de definir ou medir o amor, como é que se descobre essa igualdade entre o seu amor por ele e o dele por você, hein cara-pálida?

Como sempre, toda relação "fala"... envia sinais. Às vezes esses sinais são tão sutis que nem nos damos conta. Um bom termômetro é a conversa. Pessoas que se amam na mesma medida são ótimas de papo. Mas, se o amor é desigual, das duas uma: ou tudo que o outro fala é lei e você aceita como se fosse verdade universal, ou você é incapaz de aceitar que ele pense diferente ou que você não esteja certo e, assim, julga e critica as opiniões como se tratasse de estar certo ou errado.

Outro bom sinal é a relação de igualdade nos "acordos" do casal. Pouco importa o teor do acordo, o importante é que ele funcione para os dois lados - as concessões, as regras, o "abrir mão". Se o acordo é um relacionamento aberto, desde que ambos se sintam bem e felizes numa relação assim, ok. Numa relação "fechada", por assim dizer, tudo o que vale pra um, tem que valer pro outro também.

Namorar um machista ou uma feminista, por exemplo, torna mais complicada a tarefa de manter a igualdade, porque o machista acha que pode tudo, enquanto a mulher pode muito pouco, ou nada; já a feminista, acredita que para se impor e vencer séculos de patriarcalismo é necessário subjugar o outro, superá-lo.

Não importa que caminho você vai escolher para buscar o equilíbrio no amor, importante mesmo é encontrar esse equilíbrio. Pra alguns, ele é conquistado com o tempo, pra outros, ele pode já existir de forma natural desde o início do relacionamento. Podemos economizar anos de terapia e de energia gasta em relacionamentos desequilibrados quando descobrimos que não existe o "amor por nós dois", porque amar demais é sempre insuficiente quando não nos amam de volta na mesma medida.

5 comentários:

  1. Buscar o equilibrio dos sentimentos, a justa medida, me parece causa de hérnias...Há sempre um desequilibrio entre as formas de gostar, uma dança, quando um se aproxima o outro se afasta, existem fases da lua, também....Me parece que a questão é se os dois querem construir...o resto se conversa...

    ResponderExcluir
  2. Acha o ponto de sal é que é o problema...

    ResponderExcluir
  3. Bem... mulher asterístico. Como eu disse, não existe uma medida exata, percentual. Não estamos falando de um número, mas de uma atitude, por assim dizer. E acredito que o seu exemplo, de os dois quererem construir juntos, é sinal de que se gostam na mesma "medida", na medida em que se vêem como iguais (um não arrasta o outro pra junto de si... os dois caminham de mãos dadas).

    ResponderExcluir
  4. acho q alguém aí está precisando estudar um pouco sobre oq realmente significa o feminismo

    ResponderExcluir
  5. Tenho sempre visto (e vivido) que nas relações amorosas, estar na mesma medida é impossível, ou quase. Parece-me que sempre tem um que ama mais, que cede mais, que exige mais, embora tudo seja negociado. Quando se gosta, simplesmente se gosta, e quando se ama, é na maior medida possível. E a medida de cada um é única, embora seja o maior amor q cada um tem pra oferecer.
    Abçs.

    ResponderExcluir