segunda-feira, 19 de julho de 2010

Quem somos nozes!

Cada uma com um perfil e uma visão sobre o amor... mas todas com algo em comum: ninguém entende nada do assunto ;-)

Em vez de fazermos autopropaganda, pedimos que amigos e amigas nos descrevessem quando o assunto é .... AMOR. Resultado: filme queimado, com certeza.

Pah

Serial dater, pára-ráio de homem maluco. Tem as histórias mais bizarras sobre relacionamentos, encontros e desencontros. Já saiu com caras absurdamente loucos pelo puro instinto de antropóloga, ou só por ser serial dater mesmo. Quando se apaixona de verdade, não importa o quão louca seja a situação: ela é quase suicida amorosa, não existe conselho de amiga que a faça não se jogar de cabeça.

Mas isso não quer dizer ela saia com qualquer um.... Ô mocinha difícil de agradar! É difícil conseguir ser a criatura que a faça ficar com aquele brilho nos olhos! Caras normais, previsíveis e acessíveis não conseguem mais do que um oi seguido de um tchau. Ela pode até negar, mas para agradá-la de fato é importante que o carinha em questão tenha algum diferencial maluquinho, o que acaba tornando-a um pouco maluquinha também. :-)



É a autora do Blog que geralmente escreve "coisas sérias e cheias de insights". Definitivamente a romântica por aqui, com suas excentricidades: consegue sair e beber todas num dia, mas pode sentar num bar sábado à noite e tomar água com limão e laranja e comer salada.


Luca

Luca é objetiva e prática: ou você quer, ou você não quer. Ou você vai, ou você não vai. Não se envolve emocionalmente, não se apega, não liga no dia seguinte, ou liga - porque ela não segue nenhuma cartilha, todos os relacionamentos - sem exceção - são freestyle.

Ela sempre diz "I don't do dating, só faço freela". Ha, ha, ha! À primeira vista, pode até parecer. Mas, no fundo, um dia descobriremos que a Luca é, na verdade, a mais romântica e sensível das três.

O único problema dela no amor é o jeito que ela se enxerga. Porque o que ela é, no fundo, é uma "menina" muito especial que se recusa a admitir que, como qualquer pessoa no mundo, quer gostar e ser gostada na mesma medida e encontrar alguém especial que encerre esse eterno ciclo de experimentação de sua vida de freelancer do amor.



Gabi

Gabi é impulsiva, descoordenada, e muito desligada. Não tem nenhum talento no mundo da conquista e não entende nada dessa coisa de dança do acasalamento, flerte e pegação. Ela não tem paciência, acha que tudo isso dá muito trabalho. Desculpa esfarrapada? Egoísmo? É bem possível... porque é bem provável que a "falta de paciência" seja só uma desculpa que esconde a constatação de um "você não é interessante o suficiente pra me fazer esticar o braço". She still haven't found what she's looking for...

Tem um estilo de "a super sincera", o que permite que as pessoas percebam muito claramente se ela gostou ou não delas. Acredite, não fica qualquer dúvida. Além disso, anda pra cima e pra baixo com o manual "como ser escrota pra caralho, nível avançado"... diz ela que toda essa objetividade é ótima pra ela e pros outros: eles não perdem o tempo deles e ela não perde o dela.

Fã incondicional do Tarantino, se você a convidar pra assistir os dois volumes de Kill Bill - com bastante sangue, porradaria, espadas e afins - é capaz de conquistar o coração da Gabitrix. Se bem que, a essa altura, conquistar o coração da Gabi vai ser difícil: se alguém aqui trocou o coração por um fígado, definitivamente foi ela.

3 comentários:

  1. Sensacional o post. Me escangalhei de rir.
    Roubei duas frases daqui.
    "I don't do dating, só faço freela" vai ser meu lema a partir de hoje.
    Já a "como ser escrota pra caralho, nível avançado", já sei perfeitamente com quem usar!
    Prazer, meninas! =)

    ;*

    ResponderExcluir