quarta-feira, 12 de maio de 2010

D.R.

Sabem que tem gente que ainda não conhece a sigla D.R.???

Incrível né?!! Mas devem ser pessoas sortudas. Não saber o que é uma D.R. é quase uma dádiva. É como ganhar na loteria.

Porém, a maioria das pessoas sabe o seu significado. D.R. nada mais é do que "discutir relação". E nada mais apropriado para uma coisa tão chata e burocrática como essa do que resumi-la numa sigla à la INSS, IPVA, IPTU...

D.R.'s são simplesmente um saco. Eu tive uma professora na faculdade que (um tanto radical, ok!) costumava dizer que no dia que você precisasse discutir a sua relação com seu namorado, noivo, marido, amante, peguete... o que fosse, que aproveitasse a oportunidade e terminasse logo a tal relação. De acordo com ela, quando a relação está boa não precisa ser discutida. E, quer saber? Concordo. Apesar de, eu confesso, eu mesma já "deerriei".

Mas porque eu resolvi discutir sobre D.R. aqui hoje?? Porque eu li um trecho* em que um pai conversava com o filho sobre relacionamento. Achei fantástico.

"Tive uma namorada uma vez. Tudo o que fazíamos era falar sobre nossa relação. Era o que fazíamos, em vez de nos relacionarmos. Isso se torna realmente chato".

E é isso! Tem gente que fica tão preocupado em saber racionalmente se está no caminho certo ou não, que esquece de viver o que vale a pena. Como na frase acima, muita gente perde tempo - isso mesmo PERDE - em discutir, argumentar, racionalizar, e pensar,pensar, pensar, planejar, analisar... Enquanto poderia muito bem beijar, abraçar, viajar, dividir, compartilhar, se apaixonar... Enfim, ser feliz de fato e não questionar o quanto se é ou deveria ser feliz. Quando vai acabar? Como vai acabar? Detalhes sem importância.

Em resumo: D.R.'s são um porre!

* Livro O clube do filme

Nenhum comentário:

Postar um comentário