sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Três grandes versões do homem-problema


Existem três “raças” de homem que, a meu ver, se não podem ser extintas do planeta, devem ser completamente excluídas da nossa dieta:

1. Tipo “Traumatizadinho com a ex”:

O cara a convida pra um chope coisa e tal, levanta seu ego, fica de papo no MSN e (ops! Lá vai ele) e começa a falar de relacionamentos (ai, ai, ai) e da (tcharammmmmmm) ex. Aí você descobre que eles terminaram há milênios (ui). Me explica: pra que é que ele quer discutir a DR da ex? A Cezar o que é de Cezar! Conversas entre pessoas que estão se conhecendo precisam ser leves e divertidas. Ninguém está interessado em saber do histórico amoroso da outra pessoa. Quer ver o quanto ele está traumatizado? Depois de ser enrolada com lengalenga, pergunte simplesmente: “qual é a sua?”. Aposto que ele vai sumir. Amém!


2. Tipo “Futuro amor da sua vida”
Esse é outro tipinho que morde e assopra e te ronda que nem mosca de padaria. Ele passa anos a fio dizendo que “se nada der certo e a gente chegar aos 35 sozinhos a gente casa”. (Quem?) Apertando a tecla SAP, ele está dizendo: “olha, vou me divertir horrores e pegar geral. Se, eventualmente eu me cansar da farra e não encontrar alguém que me queira, fico com você”. Se você ouve isso com frequência, é hora de dizer "beijo, tchau e não me liga" e dar as costas.

3. Tipo “Eu só quero quem não me quer”:
O pior de todos é aquele que quando está com você vira tua vida de cabeça pra baixo. Te trata muito mais ou menos e você está mal colocada na lista de prioridades dele. Mas você é louca por ele, e fica ali se enganando. Com muito esforço você vira a mesa, sacode a poeira e toma uma atitude e coloca um ponto final. A vida começa a ficar maravilhosa, você começa a se perguntar por quê levou tanto tempo pra fazer isso. E é exatamente quando você descobre que existe vida além da cretinice que a bola de cristal que eles têm ( só pode ser isso) descobre que você está feliz e ele imediatamente te liga pra dizer coisas sem sentido tipo “eu nunca deixei de pensar em você”, ou “estava vendo umas fotos nossas e resolvi te ligar”. Ligar pra quê, cara pálida?!

Pois é. O mundo da dança do acasalamento é complicado. Aos tipos acima citados, uma súplica: façam um favor a si mesmos e não liguem pra dizer coisas sem sentido, parem de ficar provocando ou fazendo promessas absurdas de um futuro que nunca vai chegar. Ou liguem, mas digam logo a que vieram (pra gente ter o direito de aceitar ou não a real proposta). Caso contrário, sigam a vida e preencham o tédio com videogame, o campeonato europeu de futebol, ou o carioca, ou o brasileiro, ou qualquer outra "coisa de menino" que seja interessante pra você.

Um comentário: