quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Marry me... not!

Quanto mais eu namoro, mais eu chego à conclusão que não vou me casar nunca.

Acho muita sacanagem colocar duas pessoas apaixonadas para dividir o mesmo quarto, carro, banheiro, contas, compras, aborrecimentos, horários, rotina. Certamente vai dar briga entre elas. Afinal, não é sobre isso o BBB?

Eu sei que casamento é uma tradição. Que uma certidão pode ser muito importante na vida prática. Que é mais econômico dividir um aparatmento. Que é melhor criar os filhos com as figuras materna e paterna na mesma casa. Mas eu não ligo para ritos de passagem, não me encontro em nenhuma situação que uma certidão de casamento poderia melhorar, tenho um padrão de vida confortável e, definitivamente, não quero procriar.

Não sou, nem de longe, contra relacionamentos - ao contrário, se eu pudesse comprar o sentimento de estar apaixonada no supermercado, gastaria todo o meu salário nisso. Mas isso não signifique que eu queira encontrar a minha cara-metade todo santo dia. Eu prefiro sentir saudades. Ficar ansiosa esperando a hora do encontro. Me arrumar para ganhar um elogio quando ele me ver. Principalmente, encontrá-lo na hora que tivermos vontade de nos encontrar e pudermos dar atenção um ao outro. E poder levar à cabo toda as minhas idiossincrasias de solteira que mora sozinha nas outras. Comer o que quiser, acordar na hora que quiser e sair de casa sabendo que as coisas estarão exatamente como eu deixei quando eu voltar.

Sim, sou egoísta. Mas as vezes eu preferiria dar de cara uma sirigaita na minha cama a dar de cara com mais uma camiseta usada e amassada.

3 comentários:

  1. KKKK tb penso assim do mesmo jeitoo! rsss isso de dividir as vezes estraga algo tão belo e desgasta tudo que sentimos. bjus

    ResponderExcluir
  2. Eu sou TOTALMENTE o contrário de você!

    ResponderExcluir
  3. Eu meio concordo, meio discordo...
    Concordo totalmente com seus argumentos sobre a destruição - pouco a pouco - da paixão em meio as chatices da rotina e do dia a dia. Sou totalmente adepta da vida individual. Adoro morar sozinha e, segundo depoimentos, não curto muito que outros interfiram na minha vida - ainda que pro meu bem. Porém, acredito que isso vá muito do perfil da pessoa, ou das duas pessoas envolvidas nesse lance de casar. Tenho amigos que são realmente felizes por estarem nesse estilo de vida, e gostam de dividir suas vidas diariamente. Acho que o grande diferencial entre ser feliz a dois e a destruição da paixão por causa da pia de louça está na vontade de participar ou não. Enfim, gostei do post.

    ResponderExcluir