terça-feira, 1 de março de 2011

Vá de táxi... ou não



Está chegando o carnaval... época em que a gente escuta as histórias de "romances" absurdos e improváveis. Essa coisa de álcool e orgia nacional nem sempre termina "bem".

Semana passada eu escutei uma história bizarra e, em tempo de Lei Seca, resolvi repassar a vocês donzelas que bebem todas e voltam ou vão de táxi.

Eí-la:

Uma amiga minha estava hospedando uma amiga de outro estado aqui no Rio. A moçoila em questão ia pra Lapa (epicentro carioca da bohemia) encontrar com um affair gringo e, como não sabia andar muito bem na cidade e já estava pra lá de Bagdá depois de algumas doses de álcool, foi devidamente colocada dentro de um táxi e despachada pra Lapa.

A menina voltou pra casa tipo quase com o dia raiando... e todo mundo pensando que ela e o gringo tinham ficado às mil maravilhas, até que a moça se explica:

_ Ihhhhhh... eu nem consegui chegar na Lapa direito. Fiquei rodando tudo lá de táxi e não achei o gringo.

O que vocês acham que aconteceu? Well, pra não perder a viagem (literalmente), a mocinha pegou o próprio taxista e foi com ele pra um motel etc e tal. É, tem gente que se utiliza da Lei Seca pra sair da seca (putz, que trocadilho infame!).

A pergunta que não quer calar: quanto será que saiu essa corrida, hein?

Conselho de amiga: quando achar que vai voltar de táxi bêbada, se possível, escolha bem o taxista enquanto ainda estiver sóbria, porque vai que.....

Um comentário: