segunda-feira, 11 de julho de 2011

Tudo pode dar certo!

Uma amiga, que chegou aos 40 anos, reclama que os pais enchem o saco porque ela não casou e nem cursou uma faculdade e blá blá blá. Perguntei pra ela se ela não tinha um namorado porque não queria etc e tal, ou porque não tinha surgido alguém legal e ela me respondeu:

_ Este não é o momento pra eu namorar, casar etc. Tenho 40 anos e ainda não tenho nível superior, tenho que ajeitar a minha vida primeiro....

Tem tanta gente esperando "o momento certo" pra tanta coisa, que faço a seguinte pergunta: até quando as pessoas continuarão tendo a ilusão de que a vida pode ser planejada a esse ponto? Quantas pessoas legais terão sido rejeitadas porque “não é o momento certo” ? Quantas coisas mais vamos fazer pra poder tentar seguir essa tal ordem cronológica das coisas, perseguindo o tal pacotão da felicidade: fazer uma faculdade + ser independente com emprego estável + ter uma casa própria+ comprar um carro + casar e ter filhos.

Não que eu seja a melhor conselheira amorosa do mundo. Não que a minha vida amorosa seja tão revolucionária. Mas, acho que é possível ser feliz de um milhão de formas diferentes, convencionais ou não.

Tem gente que é feliz seguindo o padrão social e atendendo às expectativas dos pais e da cultura. Tem gente que não é feliz porque fica tentando enquadrar a vida nesse padrão e não consegue.

Seja como for, meu amigo Woody Allen (no Filme Whatever Works) mostrou que relações muitas vezes excêntricas - quando a gente não cria barreiras e pré-conceitos sobre elas - podem funcionar. Basicamente TUDO pode dar certo, se a gente quiser que dê, assumindo nossos reais desejos, ao invés de negá-los ou de tentar se encaixar nas expectativas dos outros.

Ou seja: casar e ter filhos é um caminho e se você deseja isso de fato, corra atrás. Mas não casar e não ter filhos também pode ser uma escolha, e não uma fatalidade do destino. Quanta gente não tem nível superior e é infinitamente mais feliz que as pessoas que têm? Quanta gente adotou um filho e ficou tão ou mais feliz que as mulheres que experimentaram a maternidade biológica? E quantas mulheres que de fato gostariam de ser mães em tempo integral e donas de casa estão trabalhando 12 horas por dia e abrindo mão do que realmente queriam por uma questão e ego de mulher moderna?

Pessoas podem se casar aos 15 ou aos 70 e serem felizes. Pessoas podem renunciar ao casamento para ter uma vida religiosa (como freiras, padres, monges ou sei lá o quê) e serem felizes. Pessoas podem escolher viajar e conhecer o mundo sem assumir um relacionamento estável e serem felizes.

É cliquê, mas não é menos verdade por isso: NÃO EXISTE RECEITA. O que é bom ou certo pra você é o que funciona. E pra descobrir isso, é preciso estar preparado pra viver em vez de planejar o tempo todo a vida que se quer ter quando “chegar o momento certo”.

2 comentários: