quinta-feira, 26 de abril de 2012

House


Patient: “Are there other ways I could get pregnant? Like…sitting on a toilet seat?”
House: “Absolutely. There would need to be a guy sitting between you and a toilet seat, but yes, absolutely.

Pode isso, Arnaldo?



Uma das maiores felicidades de não ter namorado é a ausência de futebol na minha vida. Peraí, deixa eu explicar BEM:

Não me refiro ao futebol com os amigos às segundas-feiras à noite. Oi, eu acordo praticamente todos os dias (inclusive domingos) às 5h30 para correr e deixo de sair com amigos e pretendentes para tal, de modo que eu super entendo o futebol das segundas-feiras à noite. Aliás: fazer atividade física, lidar com a agressividade e a competitividade de uma forma lúdica, encontrar os amigos, tomar uma cerveja depois - eu não consigo ser mais a favor disso.

Tampouco me refiro ao ato de assistir um jogo num estádio, viajar para ver o time jogar, se reunir com os amigos pra ver o jogo em casa ou no bar, levar num treino do seu time o filho que nem vacinado ainda foi. Acho tudo isso muito legal e muito saudável. O cara interage, se mobiliza, participa. O jogo é importante, mas outras coisas acontecem. O que eu realmente não entendo é como, num lindo fim de semana de sol, alguém deixa de fazer alguma coisa para ficar em casa sozinho em frente à TV assistindo vários semianalfabetos chutarem uma bola. É muita pobreza de espírito para o meu coração. A little less conversation, a little more action, please.

Reclamação feita, onde vamos nos reunir para ver a final da Champion's League?



E já que tem que ser futebol, que ao menos seja latino, romântico e campeão do mundo.



quarta-feira, 25 de abril de 2012

As mentira que os homens contam I*


*não que eu ache que só homem faça isso. Só quis aproveitar o título do livro. De vez em quando eu ouço alguém dizer que" traiu porque o relacionamento estava ruim". Não só é um grande clichê, como é uma grande mentira. Parece aquela estória da mulher que foi estuprada porque usava uma saia curta. Realmente uma coisa causou a outra? Sério. Se você acha que o seu namoro/casamento anda mal, é traindo que você vai melhorá-lo? Se as coisas já não são mais como antes existem várias opções: pode ser uma fase, você pode terminar, tentar terapia de casal, dar um tempo, conversar. Não é traindo que se resolve nada. Além disso, quem começa uma relação sem terminar outra não é exatamente um bom namorad@/conjuge, concordam? Ou, eu diria, uma pessoa íntegra e honesta de modo geral (porque eu acredito que ética a gente só tem uma. Você não, sei lá, rouba no trabalho e é o melhor pai do mundo em casa). Como é essa pessoa no relacionamento? Qual é a parcela de culpa dela? Todo mundo já traiu (ou vai trair) em algum ponto da vida, mas a coisa tem diferentes graus.Traiu porque o relacionamento estava ruim? Hummmm, acho que a relação de causa e efeito não é exatamente essa. Gente canalha não sabe ter um relacionamento. Ponto.

Era uma vez no Metro

Minha amiga Zazá faz parte daquela crescente lista de mulheres lindas, inteligentes e gente boa que não conseguem encontrar um cara legal pra namorar, apesar de quererem MUITO.  Mas esse não é o assunto desse post. Assunto recorrente a gente deixa pra depois. A Zazá é apenas a protagonista da história do dia.

Um final de semana antes do carnaval ela estava vindo aqui pra casa, num sábado, pra nós nos arrumarmos e então curtimos um baile pré-carnaval. E quando ela chega aqui em casa, aos risos e gargalhadas, ela me fala a seguinte frase:

"Gabi, você não vai acreditar no que eu fiz agora. E foi graças a você. Eu imaginei que você faria o mesmo, ou me falaria pra fazer, e fiz."

Nesse momento, apenas um sentimento: MEDO!

A Zazá estava vindo de metro e viu um cara gracinha sentado no mesmo vagão. Ele estava com uma amiga, que ela se certificou que era pelo jeito que eles estavam juntos, apenas conversando. Ela ficou reparando, achando ele uma gracinha, imaginando os dois no cinema... normal. Ele desceu algumas estações antes da Zazá. Então ela começou a pensar mil coisas, até que teve a brilhante ideia de deixar o destino agir. Se a garota, amiga do carinha, saísse na mesma estação que ela, iria perguntar sobre o cara. Eis que as duas descem na estação Botafogo. E lá vai a Zazá.

- Oi, tudo bem, eu sou a Zazá... é... é que eu reparei no menino que estava com você no metro... eu queria saber se ele é comprometido ou algo assim... você não é namorada dele não, né?"

-Não, imagina, é só meu amigo. Ele é meu amigo de cursinho e suuuuper gente boa.

- Que bom! Então, se eu te desse meu contato, você entregaria pra ele?

- Claro!! Pode deixar! (A mulherada logo se empolga com o próximo roteiro de sucesso da Disney)

Pois bem, eu realmente não sei de onde ela tirou que eu faria uma coisa dessas. Mas devo admitir que achei a atitude super digna. Merecedora de prêmio. Foi muita coragem. E ainda que não desse em nada, já tinha valido a pena.




EPÍLOGO

O carinha depois mandou mensagem pra ela. (Uhuuuuu, o plano deu certo!!) Eles marcaram de ir ao cinema juntos, se encontraram, se beijaram, mas no final ele se mostrou mais uma peça fraca como as muitas outras que estão disponíveis no mercado do status Relacionamento Sério. Não, ele não é mau caráter, só fraco mesmo. Não quis brincar. Ah, e não se trata de ser gay também.