domingo, 12 de julho de 2015

Os vários ângulos de uma traição


Um amigo meu sofre de ansiedade crônica e está sempre indo a consultas com seu psiquiatra. Em muitas consultas, ele sempre retornava ao tema que era também monólogo das nossas conversas: sua história com uma paixão da adolescência que até hoje mexia muito com ele. 

Frequentemente ele tinha vontade de largar tudo pra ficar com essa mulher. Mas os dois eram casados e, apesar  de bastante infelizes, quase sempre em vias de se separarem, em relações com brigas constantes, achavam que seria complicado ficarem juntos, porque os dois estavam casados há muitos anos e também por causa dos filhos. 


O meu amigo e a mulher por quem ele é apaixonado desde a adolescência, trocavam e-mails com certa frequência, sobre como nunca tinham esquecido um ao outro, às vezes considerando tomar coragem de acabar com seus casamentos para ficarem juntos. Quase sempre ele se sentia culpado, porque ao trocar e-mails com outra mulher, traía sua esposa. Ao que o psiquiatra retrucou:

"Realmente, vocês são dois adúlteros. Você tem traído a mulher que você ama há anos com sua esposa. E a mulher que você ama também tem te traído com o marido dela".

Na maioria das culturas, amar uma mulher que não seja sua esposa ou um homem que não seja seu marido é um grande ato de traição. Mas, talvez, do ponto de vista do amor, às vezes a maior traição sobre a qual não nos damos conta é quando traímos a nós mesmos, nos negando viver um amor verdadeiro, por pura covardia, enquanto oferecemos aos nossos maridos e esposas um casamento de mentira por uma vida inteira.

2 comentários:

  1. Caramba! Acabei vindo bater nesse blog só Deus sabe como, e me perdi no tempo lendo inúmeros textos seus. Sem palavras! Já sou seu fã!
    Obrigado por compartilhar com o mundo esses pensamentos, essas visões acerca do amor, que são realistas e ao mesmo tempo tão lindas. Obrigado! Que tudo de bom que você espalha, volte pra você em forma de felicidade dobrada! Fica com Deus. Abraços! :)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada de novo, Caio! Ler seus comentários deixou meu dia feliz :-) Que eu consiga continuar escrevendo de um jeito que, ao mesmo tempo, coloco pra fora o que sinto e inspiro outras pessoas. Abraços, Paloma

    ResponderExcluir