quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Todas as paixões são perfeitas

Um dia me ensinaram que só é perfeito quando a gente é correspondido. E eu acreditei nisso. Acreditei mesmo.  Mais do que isso: sempre achei que ser correspondido é ser desejado de volta. Que só se vive uma paixão quando o outro corresponde as nossas expectativas de romance, beijos, noites de sexo e dormir de conchinha.

Acreditei que não ser correspondido é uma tragédia anunciada para qualquer pessoa apaixonada, ainda mais aquelas que se encontram perdida e irrevogavelmente apaixonadas. Acreditei que insistir em estar perto de alguém que queremos e que não sente o mesmo por nós é suicídio amoroso. Sempre senti que a melhor solução para nos poupar dessa tristeza parcelada em 36 meses com juros de 200% ao ano e garantia de um futuro coração partido é nos afastarmos de amores não correspondidos a todo e qualquer custo - tanto quanto deveríamos nos afastar do Ebola: quarentena é até pouco.

Acreditei em tudo isso, até conhecer você. Até ler nos seus olhos que não existem sentimentos não correspondidos, que não precisa ser menor e nem precisa ser triste quando o outro não sente a exata mesma coisa por mim. O amor não é uma via de mão dupla. Nunca foi. E me ensinaram tudo errado. Gostar de alguém é desapego, é entrega, é não ter expectativas.

Quando eu me apaixono, é dentro de mim que mora esse sentimento e são meus olhos que irradiam esse brilho de me saber apaixonada. Sou eu quem experimenta os batimentos cardíacos acelerados e é no meu sangue que se multiplicam a dopamina, a endorfina, a noradrenalina e a oxitocina. Meus dias não precisam ficar mais alegres somente se você quiser me beijar. Eles são alegres só porque eu tenho a sorte de te conhecer e porque você me lembra que sou capaz de sentir coisas bonitas. 

Eu sei. Sei que seria ótimo se você quisesse os meus beijos e se eu pudesse deitar no seu colo pra assistir a filmografia do Woody Allen numa maratona no próximo final de semana. Eu sei que seria incrível poder viver tudo da exata forma como eu gostaria. Mas não é pouco poder ter a sua companhia e rir contigo. Não é insuficiente aprender com você a me enxergar e me conhecer de um jeito que eu não conseguiria só me olhando no espelho. Não é pequeno saber que podemos construir uma história que, mesmo sem um relationship status no Facebook, é inteira.


Porque é lindo eu sentir aqui em mim esse desapego, essa capacidade de te olhar e saber que eu não preciso te ter e que eu só quero te ver feliz. E é por causa de toda a beleza instantânea que a sua presença me provoca que eu lembro que sou inteira e plena

4 comentários:

  1. Que texto lindo.
    Eu já senti essa paz de não precisar ser correspondido por uma paixão cheia de química e força. Mas também já senti a urgência de um contato físico, ou a tristeza de não poder passar muitas horas conversando, ou a frustração de não viver naquele mundo mágico que só existe nas minhas expectativas mais mundanas. Viver estes dois aspectos da minha paixão perfeita e inteira abriu meus olhos e me mostrou que existem outras cores e outras formas, e me ensinou que a impermanência é a única lei do universo. E, você já sabe, não tem mais volta.
    É incrível como você coloca em palavras essas coisas difíceis de explicar. Escreva mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito gostoso ser livre e leve para não ter tudo o que se deseja, né? Pprque às vezes a dá tanta importância pra realização de desejos físicos, que esquece que a conexão de alma é um alimento completo pro coração e que não é necessário ter alguém num nível mais físico pra sentir isso. <3

      Excluir
  2. Quando você ama alguém, você quer a pessoa por completo, cada pequeno aspecto. Afeto, amizade, sexo, filma, cafuné, beijo, abraço, cobrir seu pé de noite porque você se mexe muito e o descobre sempre. Tudo. É bem difícil se apaixonar e se contentar com amizade. Pra não dizer impossível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Léo, quando EU amo alguém, eu posso querer muitas coisas. Porque a gente não controla o que quer. Mas não ter o que eu quero, não é motivo de frustração. E eu me contento com o que o outro pode me dar, porque quando estamos com alguém que amamos de verdade, nada é pouco. Pode ser difícil pra algumas pessoas, e bonito, leve e fácil para outras. A palavra amor é só uma palavra - e pode significar sentimentos totalmente diferentes pra cada um e experiências ainda mais distintas.

      Excluir