sábado, 7 de janeiro de 2017

Amor que se procura não se encontra



Provavelmente desde que respirou quando nasceu, ele já queria encontrá-la. Antes mesmo de andar, de estrear os joelhos no paralelepípedo e antes de todas as primeiras vezes de tudo. 

Começou a doer quando aquela menina no jardim de infância dividia a maçã do lanche do recreio com outro. Não podia ser ela. E cada vez que não era ela, doía mais do que poderia doer se fosse só mais um fim de namoro comum ou uma ficada que não foi pra frente. Cada vez que não era ela, a sensação de que ela nunca ia chegar. E de que ele nunca iria poder sossegar no aconchego de uma relação com ela que ele vinha esperando desde sempre.

Tem gente que já nasce com um sentimento de que falta alguma coisa. Aí assiste uma comédia romântica e - bingo! - acha que o que tá faltando é aquela pessoa que vai parar o avião pra pedir pra gente ficar. Não é que falte algo (às vezes pode até ser), mas acho que quase sempre, nossos vazios são só a vontade de viver por inteiro, de encontrar um sentido pra vida, de encontrar alguma coisa além de tudo que a gente conhece e de sentir alguma coisa maior que a gente mesmo. 

Mas acontece que não é sobre encontrar a The One, é sobre procurar tanto. A gente não sabe o que procura até encontrar. Então, talvez não devêssemos procurar quando não temos como saber o que estamos procurando. 

Eu sei, tá confuso de entender. Eu vou simplificar: você não precisa mais procurar. Não se preocupe em chegar lá, porque a vida não te deu o mapa, então, não há porque se cobrar tanto. Pode ficar tranquilo se estiver perdido, todos estamos. A gente não tem direção. E, às vezes, se você não sabe onde quer chegar, o jeito é viver o que há no caminho, experimentar todos os lugares. Se não temos mapa, temos o olhar e o sentir. Quando você chegar lá, você vai saber. Vai se sentir em casa e simplesmente vai saber.

E se você não chegar lá? O medo é esse? Não existe não chegar lá para quem não faz da vida uma eterna procura, entende? E você vai encontrá-la apenas quando ela não existir na sua cabeça antes de existir na sua vida. Porque tem umas coisas nesse mundo que precisam obedecer a um certa ordem. A carroça não anda se estiver na frente dos bois. O amor da vida não é uma criação, é uma construção. E o amor da sua vida pode nem ser ela: pode ser um filho, um lugar, um projeto, uma experiência, uma viagem ou descobrir como ser você mesmo.  

Amor que se procura não se encontra, porque amor a gente não procura. É ele quem encontra a gente. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário